Anne Frank

 

livro-dandara-e141384207954321

sinopse
“Encontrado no sótão onde a pequena Anne Frank morou os últimos anos de vida, seu diário se tornou um clássico em todo o mundo: uma poderosa lembrança sobre os horrores de uma guerra, um testemunho eloquente para o espírito humano.

Em junho de 1942, quando os nazistas ocupavam a Holanda, a menina judia de apenas 13 anos, acompanhada por toda a família, deixou para trás a residência em Amsterdã e se refugiou no sótão de uma casa. Até o paradeiro dos Frank ser delatado a Gestapo, os integrantes da família viveram ao longo de dois anos enclausurados no “Anexo Secreto”. ” – Skoob

o que eu acheiIMG_6460
Anne Frank é uma jovem judia que teve que se esconder por conta dos nazistas,  junto com a sua família, seu pai Otto, sua mãe Edith, e sua irmã Margot. Acho que a grande maioria das pessoas já escutou alguma vez falar deste livro, ou algo sobre, porque é um dos mais famosos e clássicos da literatura sobre a Segunda Guerra Mundial.

Para quem não sabe Anne Frank realmente existiu, e tudo que está escrito no livro foi retirado do seu diário, que a garota começou a escrever quando se refugiu para o sótão de um pequeno escritório. Escritório que seu pai tinha trabalhado , e graças a alguns funcionários, amigos dele, resolveram o ajudar.  No começo do livro a jovem tinha entre 12 ou 13 anos de idade, você consegue perceber o quanto ela odiava ter que se esconder do mundo. Ela reclamava tanto disto no livro, e era tão injusta com os pais (em alguns momentos), que você fica com raiva, e a acha mal agradecida. Porque enquanto ela estava viva, judeus estavam morrendo.

E isso foi um erro meu, na verdade de nós, leitores, que julgamos demais quando o livro é autobiográfico ou um diário pessoal, como é o caso deste. Sempre esquecemos quando estamos lendo estes tipos livros, que tudo que está escrito ali era uma opinião da pessoa, um desabafo, um olhar dela, uma opinião só dela, sobre os fatos e as outras pessoas ao seu redor. E Anne Frank não tinha a mínima ideia de que algum dia seu “mundo”, seu diário, que normalmente é algo totalmente pessoal, seria publicado. Nós, leitores, temos que lembrarmos que era algo dela, pensamentos de uma menina pré-adolescente.

Quando coloquei isto na minha cabeça, finalmente comecei a ler o livro com outros “olhos”, com mais respeito aos seus pensamentos e sentimentos. Afinal, ela ainda era uma criança, e nunca vou entender como é passar por toda aquela situação, de se esconder para não morrer, se processa numa cabeça de uma menina.

IMG_6461

Bom continuando. Ela fica cerca de dois anos escondida, e quando Anne Frank está perto da casa dos 15 anos, o leitor consegue perceber que ela amadureceu e cresceu, você consegue ver que ela consegue ser mais compreensiva com tudo que acontece a sua volta, e principalmente com as restrições que eram precisas para eles continuarem vivos , enquanto a guerra, ainda, não tinha seu fim. O livro basicamente é sobre o cotidiano e as pessoas com quem ela tinha que conviver, durante esses anos, que além de sua família, tinham outra. A Sra. van Dann e Dussel, um casal que tinham um filho, chamado Peter Van Pels.

Pela visão de Anne, Peter aparece inicialmente como um garoto tímido e introvertido, pelo qual ela não demostrava muito interesse. Porém, com o passar do tempo, a vida no “Anexo Secreto” acaba inevitavelmente aproximando os adolescentes e os dois chegam a se envolver romanticamente por um período, que é inclusive narrado por ela em seu diário.

Quando eles, finalmente, saem de seu refúgio, não é nada bom. Não vou falar o porque, para caso você saiba, não estrago sua futura leitura.

O final do livro é um dos mais tristes que eu já li, isso se não for o mais. Eu fiquei em choque por alguns dias e tive ressaca literária por conta dele. Não quero contar mais detalhes para não estragar quem ainda não leu ou não sabe nada sobre o mesmo, mas basicamente se resume em Anne, e seus sentimentos, durante os dois anos que ela passou em um sótão.

Sou minha crítica melhor e mais feroz. Sei o que é bom e o que não é. A não ser que você escreva, não saberá como é maravilhoso; eu sempre reclamava de não conseguir desenhar, mas agora me sinto felicíssima por saber escrever. E se não tiver talento para escrever livros ou artigos de jornal, sempre posso escrever para mim mesma. Mas quero conseguir mais do que isso. Não consigo me imaginar vivendo como mamãe, a Sra. van Dann e todas as mulheres que fazem o seu trabalho e depois são esquecidas. Preciso ter alguma coisa além de um marido e de filhos a quem me dedicar! Não quero que minha vida tenha sido em vão, como a da maioria das pessoas. Quero ser útil ou trazer alegria a todas as pessoas, mesmo àquelas que jamais conheci. Quero continuar vivendo depois da morte! (Anne Frank, 1959, p.260)

consideraçÑoes finais modelo 2Anne Frank é um dos meus livros favoritos, com toda certeza eu posso afirmar que é um dos mais emocionantes que já li. A cada página é como se você estivesse lá, com ela, ao lado de Anne. Ela diversas vezes escreveu que queria ser uma escritora, e ela realmente nasceu para ser uma. Vale muito a pena a leitura, é um livro que recomendo para todo mundo, de todas as idades.

Como essa história fez muito sucesso já existem diversos filmes, e até séries sobre o livro, alguns vocês podem achar no próprio youtube. Outro fato muito interessante é que o sótão do escritório, em que ela ficou escondida por dois anos, virou um museu, aberto para visitação. Única coisa é que você precisa viajar até Amsterdam. hahaha.Para mais informações sobre o museu é só clicar aqui.

Se você se interessou e quer comprar o livro o preço é  entre R$22,00 ou R$45,00 segundo o site da editora.