Museus

 

Como já havia comentado aqui no blog com vocês em agosto deste ano meu namorado veio me visitar no meu intercâmbio e junto decidimos fazer umas pequenas viagens para os países que ele tinha vontade de conhecer, o primeiro foi Escócia e o segundo França. Então aqui está a segunda parte dessa viagem.

Demorou um pouco, mas saiu esse roteiro completo. 😉

Processed with VSCO with a6 preset
Quando fomos sair da Escócia vimos que saia mais em conta ir de avião para Paris do que de trem, então como sempre digo sempre pesquise muito e com antecedência para encontrar os melhores preços. Nesta viagem por exemplo conseguimos nos hospedar num hotel com café da manhã todos os dias, graças a essa programação. 😀

Sites que pesquiso: Decolar, Tripadvisor, Easyjet, Eurolines, Euroestar

  • Galerie Lafayette tem um terraço aberto para o público. Essa Galeria é mais conhecida quando o assunto é compras, porque é uma loja de departamentos, mas vale lembrar que a maioria das lojas que tem dentro de lá são de marcas super caras.  Porém, vale a pena dar uma passada e ver a vista panorâmica da cidade de Paris.
  • Catedral de Notre-Dame é um dos pontos turísticos mais visitados da cidades catedral, e o acesso ao interior é gratuito, mas para subir nas torres e conferir as gárgulas de pertinho você deverá pagar. Mas minha dica é chegar bem cedo, principalmente se você estiver viajando no verão (como eu e o Eduardo), porque chegamos atarde e a fila estava dando voltas.
  • Patheon abriga os túmulos de grandes personalidades políticas, literárias e filosóficas. Infelizmente não conseguimos entrar por motivos de que faltava apenas 10 minutos para o museu ser fechado. É grátis para cidadões europeus, então se você tiver dupla nacionalidade abuse dela.

primeiro-dia-paris

  • Jardin de Luxembourg  é um parque maravilhoso, cheio de flores nos jardins da antiga casa da Rainha Médicis, vale muito a pena. Principalmente se você não quer gastar muito na cidade parisiense. É uma ótima pedida para o fim de tarde e para relaxar.
  • Louvre se você tiver a oportunidade você tem que ir neste museu pelo menos uma vez na vida. E separar horas e horas do seu dia para ele, pois ele é gigantesco. Nele tem obras conhecidas mundialmente como a famosa Monalisa (La Gioconde), a escultura de Vênus de Milo e A Liberdade Guiando o Povoquadro que simboliza a Revolução Francesa.
  • Arco do Triunfo é enorme e realmente impressionante. Por favor não seja os loucos que atravessam a rua movimentada de carros tem uma passagem subterrânea que te leva diretamente até ele. Você pode subir até o topo dele, mas tem que pagar, não creio que vale a pena, pois a vista da Basílica de Sacre-Coeur é dez vezes melhor e de graça. 😉

paris-dia-2

  • Fauchon você tem/deve passar nesta loja. Ela tem os melhores doces e macarons que você pode experimentar, e foi nela que comecei a gostar de café, vulgo cappuccino.
  • Basílica de Sacre-Coeur é a minha parte favorita de Paris, tem uma vista maravilhosa da cidade sem deixar de contar que as suas ruas são repletas de restaurantes, artistas de ruas e músicas. Além de que foi por essas mesmas ruas que grandes nomes da arte e literatura, como Picasso, Hemingway, Dali, Fitzgerald, andavam por  essas mesmas ruas, as ruas de Montmartre.
  • Promenade Plantée era uma antiga ponte e que por muitos anos ficou abandonada e atualmente é um parque.  Sempre tive vontade de conhecer e desta vez tive oportunidade.
    paris-dia-3
  • Jardim das Plantas é aonde se encontra o jardim botânico de Paris, eu e o Eduardo visitamos muito parques porque no verão eles são lindos.
  • Torre Eiffel claramente que essse é um ponto que não pode faltar.
  • Palacio de Versalles e se você tiver um tempinho extra vale muito a pena pegar um trem e ir para Versalles, o jardim e o interior do Palacio é incrivel.

 

E claramente documentei tudo em vídeo para vocês, e aqui está. coracao-1_xl

PS: Como comentei no vídeo minha amiga que mora em Paris me deu todas essas dicas de lugares e ela também tem um blog aonde ela dá mais dicas de lugares etc, se vocês quiserem visitar é só clicar aqui.







 

IMG_6795 (1)
Eu já havia ido neste museu quando vim para ca apenas como turista, por isso não pensava em voltar nele tão cedo, mas apenas algumas semanas eles inauguraram uma nova parte com muitos andares, sendo o último com uma vista incrível para a cidade. Por isso resolvi ir.

Para quem não sabe Tate Modern de Londres é um museu britânico de arte moderna e faz parte, juntamente com a Tate Britain (antiga Tate Gallery, renomeada em 2000), a Tate Liverpool, a Tate St. Ives e a Tate Online, do grupo atualmente conhecido simplesmente como Tate.

O museu foi instalado na antiga central elétrica de Bankside, no distrito de Southwark, às margens do Tâmisa. A usina, projetada pelo arquiteto Sir Giles Gilbert Scott e construída em duas fases, entre 1947 e 1963, foi desativada em 1981 e o edifício foi reconvertido pelos arquitetos suíços Herzog e de Meuron.

Desde sua abertura, em 12 de maio de 2000, o museu promove importantes mostras temporárias de arte moderna e contemporânea, e tornou-se a terceira maior atração londrina.

Na coleção da Tate Modern figuram algumas importantes obras de Pablo Picasso, Matisse, Braque, Natalya Goncharova, de Chirico, Francis Bacon, Alexander Calder, Chagall, entre muitos outros artistas do século XX.

PicMonkey Collage01PicMonkey Collage2PicMonkey Collage
endereço-e-horario-modelo-2
Endereço: Bankside, London, SE1 9TG
Horário:
Todos os dias das 10.00–18.00
Ingressos:
A entrada é livre. Logo quando você entra você pode ver em um mapa que está em diversas paredes, nele informa quais exposições são de graça e quais é necessário pagar para entrar. Normalmente as exposições são divididas entre os andares.

Para mais informações é só acessar o site oficial clicando aqui.







 

Foto retirada do site Revista Donna

O Psycho Indica está saindo um pouco mais cedo, já que normalmente estes posts sempre saem na sexta-feiras, por motivos de que vocês precisam ir nessa exposição antes que ela acabe! Todos os dias que passava na frente do Masp e via os nomes das exposições em exibições essa sempre me chamava atenção. E aproveitei o carnaval para ir, e me apaixonei.

A luta pelo voto feminino das suffragettes, ativistas, que lutaram pelo direito de voto para a mulher na Inglaterra no início do século 20 foi a inspiração da exposição Histórias Feministas. Estão expostas ao total 29 “molduras” que representam as obras que foram atacadas em protestos realizados pelas sufragistas na Inglaterra, especialmente em Londres. Quando você chega você recebe um audioguia da mostra, e escuta vozes femininas que explicam os ataques praticados, geralmente com facas de açougueiro.

Fotografia de monitoramento de militantes sufragistas detidas por atacarem museus e obras de arte, Departamento de Registro Criminal, 1914. © National Portrait Gallery, London

Fotografia de monitoramento de militantes sufragistas detidas por atacarem museus e obras de arte, Departamento de Registro Criminal, 1914. © National Portrait Gallery, London

As disposições das molduras são expostas exatamente do mesmo tamanho que tinham a obra! E é incrível, já que uma delas chega a ter 1m97cm x 4m7cm. Esse em especifico é o quadro Andrômaca Prisioneira, de Lord Frederic Leighton, de 1888. Foi uma das 13 pinturas atacadas em 3 de abril de 1913, na Manchester Art Gallery, data da primeira manifestação das ativistas.

O ataque mais expressivo do motivo das sufragistas foi o que lesou o quadro Sua Alteza o Duque de Wellington, de Hubert von Herkomer, alvo em 12 de março de 1914, na Royal Academy, em Londres. Nele está o neto do Duque de Wellington, um dos generais que lutaram contra a instituição do voto no final do século 19 no Reino Unido e na Irlanda. O argumento das ativistas?  “O avô teve as janelas de casa quebradas em prol do voto masculino. O retrato do neto foi destruído em prol do voto feminino”, explica a locução em áudio.

frederick_leighton_032_cattura_di_andromaca_1888

 

O nome da mostra, Elementos de Beleza: Um Jogo de Chá Não É Apenas um Jogo de Chá, é explicado na faixa 15. Em 9 de abril de 1914, em que três xícaras e um pires de porcelana chinesa foram destruídos por uma das sufragistas no British Museum, em Londres. A obra retratava a diferença de classes e um hábito dos trabalhadores chamado de “milk first”: servir-se de leite antes do café quente para que as xícaras não se quebrassem com o calor. Como os mais ricos utilizavam as xícaras de porcelana, as sufragistas argumentavam que atacaram a valorização à propriedade – referência a como as mulheres eram tratadas à época.

Em outra narração, conta-se o que ocorria com as mulheres quando elas eram presas: as ativistas eram obrigadas a olhar para a câmera e, para isso, eram seguradas pelos guardas pelo pescoço. Nas fotos reveladas, os braços que as sufocavam eram apagados para esconder do grande público a humilhação e a violência. Além das prisões, outra consequência dos ataques foi a determinação de que as mulheres só poderiam frequentar as salas de leitura dos museus acompanhadas e com uma carta de recomendação sobre seu bom comportamento. Resumindo, está imperdível, e audioguia passa tão rápido que quando você percebe já acabou. Daquele momentos que você fica fascinado de tanta história e informação rica que está recebendo.

TIMELINE DO VOTO FEMININO

1718 – Na Suécia, o direito foi aprovado, mas restrito a mulheres que pagavam impostos. Em 1758 (eleições locais) e em 1771 (nacionais), acabaria revogado. É aprovado novamente em 1921.

1776 – O Estado de New Jersey, nos EUA, permite o voto feminino (e revoga, em 1807). O voto feminino começa a se espalhar Estado por Estado.

1893 – Nova Zelândia permitiu votos femininos para o parlamento. Candidatas mulheres, no entanto, só foram permitidas em 1919.

1901 – Pela primeira vez, há votos de mulheres (restrito a alguns Estados) nas eleições federais da Austrália.

1906 – A Finlândia se torna o primeiro país na Europa a aprovar o voto feminino.

1908 – A Dinamarca aprova o sufrágio feminino nas eleições locais e, em 1915, nas federais.

1916 – Primeira província do Canadá aprova o voto feminino.

1917 – Uruguai insere o voto feminino à sua constituição.

1918 – A Inglaterra aprova o voto de mulheres acima de 30 anos (ou acima de 21 se tiver posses ou marido com posses). No mesmo ano, Alemanha, Polônia e Rússia aprovam leis semelhantes.

1920 – Emenda à constituição dos EUA aprova o voto feminino em todos os Estados remanescentes.

1929 – Após ações judiciais de mulheres pelo direito ao voto, o Equador insere o direito na constituição, embora facultativo.

1931 – Oito anos após aprovar o voto para solteiras ou viúvas, a Espanha estende o direito a todas as mulheres.

1932 – O Código Eleitoral aprova o voto feminino no Brasil. O direito é assegurado na Constituição de 1934.

1945 – Passada a Segunda Guerra Mundial, o voto feminino chega a países como França, Itália e Japão.

1948 – A ONU insere na Declaração Universal dos Direitos Humanos o artigo 21, que determina que governos realizem eleições periódicas com voto secreto e igualdade de gênero.

2015 – Primeira eleição com participação feminina na Arábia Saudita.

endereço-e-horario-modelo-2

Data: 12 de novembro de 2015 a 14 de fevereiro de 2016

Local: Mezanino do 1º Subsolo

Endereço: Av. Paulista, 1578, São Paulo, SP

Tel.: (11) 3149-5959.

Horários: terça a domingo: das 10h às 18h (bilheteria aberta até 17h30); quinta-feira: das 10h às 20h (bilheteria até 19h30)
Ingressos: R$ 25,00 e R$ 12,00 (meia-entrada)

O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo (10h às 18h).
O ingresso dá direito a visitar todas as exposições em cartaz no dia da visita.
Estudantes, professores e maiores de 60 anos pagam R$ 12,00 (meia-entrada).
Menores de 10 anos de idade não pagam ingresso.

Classificação livre. Acessível a deficientes, ar-condicionado.

Fontes: Revista Dona, Masp Art







 

1B9D1F5C-1275-463F-A2F5-A0979DD5E947

Olá, tudo bom? Se vocês me acompanham pelas minhas redes sociais sabem que fui (Helena) conferir a exposição “Frida Kahlo – conexões entre mulheres surrealistas no México”, que ocorre no Instituto Tomie Ohtake, aqui de São Paulo. A exposição vai do dia 27 de setembro até o dia 10 de janeiro de 2016.

A exposição apresenta uma conversa entre mulheres artistas mexicanas e estrangeiras vinculadas ao surrealismo, girando ao torno de Frida Kahlo.  Temos também María Izquierdo e Lola Álvarez Bravo, que além de compartilharem amizade com Kahlo também tinham principal objetivo do resgate da cultura e da tradições da sua terra natal. Também tem outras artistas como Remedios Varo, Alice Raho, Leonora Carrington, Kati Horna, Rosa Rolanda, Bridget Tichenor, Jacqueline Lamba, e Sylvia Fein.

4DA26F39-2AE8-43CF-B352-29586611AF77

Para entrar na exposição basta comprar o ingresso custa até R$ 10 (às terças, a entrada é gratuita) e pode ser adquirido antecipadamente pelo site da Ingresse (clique aqui), pelo app do Instituto Tomie Ohtake ou diretamente na bilheteria (crianças de até 10 anos não pagam). A dica é garantir o seu o quanto antes.

frida looks 1fotos de outras artistas

Depois de passar pela capital paulista, a exposição segue para Rio de Janeiro e Brasília. As datas ainda não foram definidas, mas já vale saber que a Frida vai dar o ar da graça em outras cidades.

endereço e horario modelo 2Instituto Tomie Ohtake

Rua dos Coropés, 88
Pinheiros – Oeste
São Paulo
(11) 2245-1900

Estação Faria Lima ViaQuatro

 de 27/09 a 10/01
Terças, Quartas, Quintas, Sextas, Sábados e Domingos das 11:00 às 20:00






 

IMG_0033
Hoje no Psycho Indica é sobre a sobre a mostra Picasso e a Modernidade Espanhola. Eu (Helena) fui conferir a exposição e me surpreendi, pois achava que eram pouquíssimas artes do Picasso que teria exposta. Não vá achando que só terá obras dele, pois tem de outros artistas também. Como o Salvador Dalí, Alberto Sánchez, José Val Del Omar, Antonio López, Francisco Bores, e outros.

Abaixo vou colocar o resumo da a mostra descrito pelos organizadores no panfleto.
“Com cerca de 90 obras, a exposição evidencia a influência de Picasso na arte moderna espanhola e os traços mais importantes e originais da sensibilidade artística que o pintor e seus contemporâneos espanhóis imprimiram ao cenário internacional das artes. A exposição faz referência ao percurso de Picasso como artista e como mito, até chegar à realização de Guernica; à sua relação com mestres da arte moderna espanhola, como Gris, Miró, Dalí, Domínguez e Tàpis, entre outros presentes na mostra; e a suas contribuições para uma noção de modernidade voltada para o tempo presente. Curadoria de Eugenio Carmona.”

Infelizmente é proibido tirar foto lá dentro, por isso não consegui mostrar alguma prévia do que vocês podem encontrar por lá. Mas consegui tirar da entrada, e de um painel interativo que reúne a obra mais famosa de Pablo Picasso.

IMG_0034
Das artes expostas podemos encontrar vários estilos artísticos como o realismo (minha preferida), cubismo, e entres outras. Vale muito a experiência,  e recomendo a todos irem. Afinal é de graça.

Vale elogiar também a organização da exposição, tudo está bem direcionado e com as informações certas, ou seja, não tem como você se perder. A amostra tem ao todo quatro andares e um subterraneo, e se você cansar e sentir fome tem, se eu não me engano, duas cafeteiras pequenas. Uma em um dos andares, e uma na saída.
endereço e horario modelo 2Até: 25.03 a 08.06
Horário:
09h às 12h
Funcionamento: de quarta a segunda
Ingresso: grátis
Endereço: Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro
CEP: 01012-000

Para mais informações é só clicar aqui.