resenha: sejamos todos feministas

O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo.

“A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente.”

Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e – em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são “anti-africanas”, que odeiam homens e maquiagem – começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”.

Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé. – skoob

Sejamos Todos Feministas é um livro curto e bem introdutório do que é a base do feminismo, explicando de forma básica sobre o tema principal dele. Se você pegar uma tarde ou um dia, dependendo do seu ritmo, tu acaba. Eu gostei bastante da forma com o que a autora escreve, é bem fluida e rentável.

Adichie dá exemplos de situações que ela passou, sendo mulher e nigeriana, em que a presença dela não denota pontos apenas pelo fato de ser mulher. Ou que ninguém lhe desse valor por ser feminina ou por não se comportar com os padrões da sociedade machista. “O problema da questão de gênero é que ela prescreve como devemos ser em vez de reconhecer como somos”

O livro é incrível e é uma ótima introdução para quem ainda não sabe o que significa ser feminista e que você não precisa ser uma mulher para defender as ideias do movimento. Leitura mais que obrigatória.

O livro é baseado em um discurso da Chimamanda durante uma conferência no TED. O vídeo é esse aqui e já teve mais de 4 milhões de visualizações.


Eu acho esse livro bem importante, como havia dito antes, como forma de introdução ao feminismo. Ou seja, dêem ele de presente. Mas caso vocês já estejam familiarizado com o tema, as ondas do feminismo, vertentes etc, vale mais a pena ir atrás das outras obras da autora. Que inclusive é isso que eu estou indo fazer.

E vocês já tinham lido este livro? O que acharam?

Onde comprar: buscape , estantevirtual, bookdepository

PS: Eu fiz um vídeo esse mês falando das minhas leituras recentes, e atuais e citei esse livro lá. Caso vocês queiram dar uma olhada <3

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.