Cultura Museus

 

Finalmente estou escrevendo este post para vocês. É que geralmente eu tenho que sentar ver todos os programas que eu fiz em tal viagem, selecionar as fotos para por aqui, etc. E isso geralmente leva um tempo. Mas como eu sempre digo, antes tarde do que nunca.

Amsterdã  é a capital e a cidade mais populosa do Reino dos Países Baixos. Como a capital comercial dos Países Baixos e um dos principais centros financeiros da Europa, Amsterdã é considerada uma cidade global alfa. A cidade é também a capital cultural do país.

Entre os seus residentes famosos estão Anne Frank, o artista Vincent van Gogh e o filósofo Baruch Spinoza.

Você pode chegar lá de diversas formas. Como avião, trem e ônibus. Eu e a minha prima escolhemos a última opção porque saia mais em conta, mas vá ciente que será uma viagem longa (dependendo da onde você esteja). De Londres para lá demorou cerca de 12h!

Sites que pesquiso: DecolarTripadvisorEasyjetEurolinesEuroestar

  • Vondelpark é um dos mais famosos parques da Holanda. O espaço foi inaugurado em 1865 com o nome de Nieuwe Park. Depois de dois anos, teve o seu nome alterado para Vondelpark em homenagem ao poeta holandês Joost van den Vondel. Lá dentro você vai encontrar a estátua de bronze do artista (que tem cerca de 3m de altura).
  • Coffe Shop aproveite para conhecer um dos 250 Coffeeshops de Amsterdam! O mais famoso é o Bulldog e você vai encontrá-lo em várias regiões da cidade!
  • Rijksmuseum é como se fosse o Louvre deles, é gigante realmente. Não chegamos a ir porque era um pouco salgado o preço e preferíamos ir outros dois museus. Ah, bem de frente dele tem o famoso IAMSTERDAM, mas saiba que é um pouco impossível tirar foto sem uma multidão em volta.

  • Museu Van Gogh é um dos clássicos pontos turísticos de Amsterdam! A entrada é cerca de €15! Mas acredito que é um dos museus imperdíveis que se você tiver oportunidade tem que ir!  Veja aqui algumas obras que são expostas no museu.
  • Casa da Anne Frank é a casa real e original em que Anne Frank viveu e hoje em dia é um museu. Além de conhecer toda a sua história aonde ela e sua família se escondia dos nazistas, durante a Segunda Guerra Mundial, você pode visitar os cômodos da casa que se encontram intactos!
  • Red Light District  acho que todo mundo já ouviu falar dessa rua, onde se encontra garotas de programas que ficam expostas em vitrines. Uma coisa importante de saber é que é proibido tirar fotos das garotas!

  • Heineken Experience é para conhecer uma das maiores produtoras de cervejas do mundo. Lá você pode ver o processo inteiro da produção da bebida, e conhecer a história da empresa. E claro degustar das cerveja. Não fomos nesse pelo preço ser alto e também porque não ligamos tanto para cerveja, mas acho que vale a pena falar dele para quem gosta saber.
  • BagelsBeans como uma boa taurina não podia finalizar esse post sem indicar este lugar. Eu e a minha prima gostamos tanto dele para tomar café que fomos dois dias seguidos. É ideal para quem gosta de brunch, assim como eu.

E como sempre eu gravei tudo para vocês, como vocês podem conferir abaixo. Espero que gostem e se vocês forem em algum lugar que indiquei acima me avisem. 








 

Cerca de um mês atrás, mais ou menos, eu fui junto com a minha prima para Cambridge. Ela quer estudar lá e por isso ela sempre quis me mostrar essa cidade. Resolvemos passar um fim de semana inteiro, um dia íamos separar para conhecer a cidade e seus pontos turísticos e no dia seguinte íamos na feira vegana que estava tendo na cidade. 😀

Processed with VSCO with a6 preset

Para quem não sabe Cambridge  é uma antiga cidade universitária inglesa, sede do condado de Cambridgeshire, na região leste do país. Situa-se a aproximadamente 80 quilômetros de Londres.

Você tem duas opções de como ir para lá, além de carro, trem e ônibus. 🙂

Ônibus
Geralmente você pega esses ônibus na Victoria Coach Station, e eles partem a cada hora.
Duração: 2h30min
Preço: £12 a £23,50, ida e volta, dependendo do horário escolhido para a saída e o retorno.

Os ônibus param na Parkside Street, que fica a 5 minutos de caminhada do centro de Cambridge.

Trem
Tem trens saindo das estações King’s Cross ou Liverpool Street . É possível reservar os tickets pela internet e coletá-los na estação ou comprá-los diretamente nos guichês ou máquinas localizadas nas estações.
Duração: 45 minutos (viagens sem paradas, trens super rápidos) ou até 1 hora e 15 minutos (com paradas).
Preço: É possível encontrar preços ótimos para viagens aos sábados e domingos, pois são dias off-peak (fora do horário de pico), de £14,50 a £29,80, ida e volta.

A estação fica a 10 minutos de caminhada do centro, pela Hills e Regent Roads.

Processed with VSCO with s2 preset

  • Punting são esses passeios de barcos. Há opções do passeio com um chauffeur, que também é um guia. Pra quem vem à cidade pela primeira vez, essa é a melhor pedida. Mas caso você goste de aventuras e não se incomode com outras pessoas “admirando” suas habilidades como marujo, alugar um punting sem chauffeur pode ser uma divertida alternativa.
  • Colleges  a Universidade de Cambridge é composta por 31 faculdades, e é possível visitar muitas delas gratuitamente, como a Peterhouse (a mais antiga, fundada em 1284) e a Magdalene College (pode-se até visitar a biblioteca, que contém livros raríssimos).
  • St.John’s College é outra faculdade uma das mais famosas que é possível visitar, fica na Saint John’s Street e cobra  £3 pela visita.
    colleges
  • Trinity College  outro college famoso, se encontra na Trinity Street, que cobra £3 pela visita.
  • King’s College fica na King’s Parade e cobra £5 pela visita.

Horários: Geralmente as colleges abrem para a visitação das 9h30 às 15h30, mas é necessário perguntar ao porteiro (Porter’s Lodge) se a visitação está liberada, pois há vários eventos fechados ao público que são realizados nas instalações das faculdades e principalmente se não for as férias de verão dos alunos.

cambridge-2

  • Casa de Charles Darwin é literalemnte onde Charles Darwin morou. Tem uma placa informativa que menciona o período em que ele morou lá.
  • Great St. Mary’s Church Tower se você estiver afim de ser fitness você pode subir os 123 degraus da torre da igreja Great St Mary, a vista de lá dizem que é maravilhosa. E como a cidade é plana é possível ter uma vista maravilhosa de lá. A igreja fica na Senate House Hill e abre diariamente.  A “subida” custa £3.
  • Mercado provavelmente você passara por ele em algum momento, pois ele fica numa área bem centralizada da cidade. É repleta de barracas com todos os tipo de produtos, pode-se encontrar frutas e verduras, bolos e doces artesanais, roupas, discos e CDs, etc. Funciona diariamente das 10 da manhã até às 4h. E fica na Market Square.260fda7e-d6e9-42ad-aaa7-69d2680fe07b
  • The Fitzwilliam Museum é o maior museu da cidade (infelizmente não fui, mas se você poder ir vá por mim) e possui obras de artistas consagrados como Monet e Picasso, entre outros, além de artefatos milenares do Egito e de Roma. A entrada é gratuita e o museu funciona de terça a sábado das 10h às 17h e aos domigos e feriados das 12h às 17h. Endereço: Trumpington Street, CB2 1RB.

E sempre tem a parte em vídeo das minhas viagens para vocês, então aqui está. Espero que gostem e se vocês forem/ou já forem comentem para mim o que vocês acharam da cidade. 😀

Fonte:mapadelondres 








 

Como já havia comentado aqui no blog com vocês em agosto deste ano meu namorado veio me visitar no meu intercâmbio e junto decidimos fazer umas pequenas viagens para os países que ele tinha vontade de conhecer, o primeiro foi Escócia e o segundo França. Então aqui está a segunda parte dessa viagem.

Demorou um pouco, mas saiu esse roteiro completo. 😉

Processed with VSCO with a6 preset
Quando fomos sair da Escócia vimos que saia mais em conta ir de avião para Paris do que de trem, então como sempre digo sempre pesquise muito e com antecedência para encontrar os melhores preços. Nesta viagem por exemplo conseguimos nos hospedar num hotel com café da manhã todos os dias, graças a essa programação. 😀

Sites que pesquiso: Decolar, Tripadvisor, Easyjet, Eurolines, Euroestar

  • Galerie Lafayette tem um terraço aberto para o público. Essa Galeria é mais conhecida quando o assunto é compras, porque é uma loja de departamentos, mas vale lembrar que a maioria das lojas que tem dentro de lá são de marcas super caras.  Porém, vale a pena dar uma passada e ver a vista panorâmica da cidade de Paris.
  • Catedral de Notre-Dame é um dos pontos turísticos mais visitados da cidades catedral, e o acesso ao interior é gratuito, mas para subir nas torres e conferir as gárgulas de pertinho você deverá pagar. Mas minha dica é chegar bem cedo, principalmente se você estiver viajando no verão (como eu e o Eduardo), porque chegamos atarde e a fila estava dando voltas.
  • Patheon abriga os túmulos de grandes personalidades políticas, literárias e filosóficas. Infelizmente não conseguimos entrar por motivos de que faltava apenas 10 minutos para o museu ser fechado. É grátis para cidadões europeus, então se você tiver dupla nacionalidade abuse dela.

primeiro-dia-paris

  • Jardin de Luxembourg  é um parque maravilhoso, cheio de flores nos jardins da antiga casa da Rainha Médicis, vale muito a pena. Principalmente se você não quer gastar muito na cidade parisiense. É uma ótima pedida para o fim de tarde e para relaxar.
  • Louvre se você tiver a oportunidade você tem que ir neste museu pelo menos uma vez na vida. E separar horas e horas do seu dia para ele, pois ele é gigantesco. Nele tem obras conhecidas mundialmente como a famosa Monalisa (La Gioconde), a escultura de Vênus de Milo e A Liberdade Guiando o Povoquadro que simboliza a Revolução Francesa.
  • Arco do Triunfo é enorme e realmente impressionante. Por favor não seja os loucos que atravessam a rua movimentada de carros tem uma passagem subterrânea que te leva diretamente até ele. Você pode subir até o topo dele, mas tem que pagar, não creio que vale a pena, pois a vista da Basílica de Sacre-Coeur é dez vezes melhor e de graça. 😉

paris-dia-2

  • Fauchon você tem/deve passar nesta loja. Ela tem os melhores doces e macarons que você pode experimentar, e foi nela que comecei a gostar de café, vulgo cappuccino.
  • Basílica de Sacre-Coeur é a minha parte favorita de Paris, tem uma vista maravilhosa da cidade sem deixar de contar que as suas ruas são repletas de restaurantes, artistas de ruas e músicas. Além de que foi por essas mesmas ruas que grandes nomes da arte e literatura, como Picasso, Hemingway, Dali, Fitzgerald, andavam por  essas mesmas ruas, as ruas de Montmartre.
  • Promenade Plantée era uma antiga ponte e que por muitos anos ficou abandonada e atualmente é um parque.  Sempre tive vontade de conhecer e desta vez tive oportunidade.
    paris-dia-3
  • Jardim das Plantas é aonde se encontra o jardim botânico de Paris, eu e o Eduardo visitamos muito parques porque no verão eles são lindos.
  • Torre Eiffel claramente que essse é um ponto que não pode faltar.
  • Palacio de Versalles e se você tiver um tempinho extra vale muito a pena pegar um trem e ir para Versalles, o jardim e o interior do Palacio é incrivel.

 

E claramente documentei tudo em vídeo para vocês, e aqui está. coracao-1_xl

PS: Como comentei no vídeo minha amiga que mora em Paris me deu todas essas dicas de lugares e ela também tem um blog aonde ela dá mais dicas de lugares etc, se vocês quiserem visitar é só clicar aqui.








 

Foto retirada do site Revista Donna

O Psycho Indica está saindo um pouco mais cedo, já que normalmente estes posts sempre saem na sexta-feiras, por motivos de que vocês precisam ir nessa exposição antes que ela acabe! Todos os dias que passava na frente do Masp e via os nomes das exposições em exibições essa sempre me chamava atenção. E aproveitei o carnaval para ir, e me apaixonei.

A luta pelo voto feminino das suffragettes, ativistas, que lutaram pelo direito de voto para a mulher na Inglaterra no início do século 20 foi a inspiração da exposição Histórias Feministas. Estão expostas ao total 29 “molduras” que representam as obras que foram atacadas em protestos realizados pelas sufragistas na Inglaterra, especialmente em Londres. Quando você chega você recebe um audioguia da mostra, e escuta vozes femininas que explicam os ataques praticados, geralmente com facas de açougueiro.

Fotografia de monitoramento de militantes sufragistas detidas por atacarem museus e obras de arte, Departamento de Registro Criminal, 1914. © National Portrait Gallery, London

Fotografia de monitoramento de militantes sufragistas detidas por atacarem museus e obras de arte, Departamento de Registro Criminal, 1914. © National Portrait Gallery, London

As disposições das molduras são expostas exatamente do mesmo tamanho que tinham a obra! E é incrível, já que uma delas chega a ter 1m97cm x 4m7cm. Esse em especifico é o quadro Andrômaca Prisioneira, de Lord Frederic Leighton, de 1888. Foi uma das 13 pinturas atacadas em 3 de abril de 1913, na Manchester Art Gallery, data da primeira manifestação das ativistas.

O ataque mais expressivo do motivo das sufragistas foi o que lesou o quadro Sua Alteza o Duque de Wellington, de Hubert von Herkomer, alvo em 12 de março de 1914, na Royal Academy, em Londres. Nele está o neto do Duque de Wellington, um dos generais que lutaram contra a instituição do voto no final do século 19 no Reino Unido e na Irlanda. O argumento das ativistas?  “O avô teve as janelas de casa quebradas em prol do voto masculino. O retrato do neto foi destruído em prol do voto feminino”, explica a locução em áudio.

frederick_leighton_032_cattura_di_andromaca_1888

 

O nome da mostra, Elementos de Beleza: Um Jogo de Chá Não É Apenas um Jogo de Chá, é explicado na faixa 15. Em 9 de abril de 1914, em que três xícaras e um pires de porcelana chinesa foram destruídos por uma das sufragistas no British Museum, em Londres. A obra retratava a diferença de classes e um hábito dos trabalhadores chamado de “milk first”: servir-se de leite antes do café quente para que as xícaras não se quebrassem com o calor. Como os mais ricos utilizavam as xícaras de porcelana, as sufragistas argumentavam que atacaram a valorização à propriedade – referência a como as mulheres eram tratadas à época.

Em outra narração, conta-se o que ocorria com as mulheres quando elas eram presas: as ativistas eram obrigadas a olhar para a câmera e, para isso, eram seguradas pelos guardas pelo pescoço. Nas fotos reveladas, os braços que as sufocavam eram apagados para esconder do grande público a humilhação e a violência. Além das prisões, outra consequência dos ataques foi a determinação de que as mulheres só poderiam frequentar as salas de leitura dos museus acompanhadas e com uma carta de recomendação sobre seu bom comportamento. Resumindo, está imperdível, e audioguia passa tão rápido que quando você percebe já acabou. Daquele momentos que você fica fascinado de tanta história e informação rica que está recebendo.

TIMELINE DO VOTO FEMININO

1718 – Na Suécia, o direito foi aprovado, mas restrito a mulheres que pagavam impostos. Em 1758 (eleições locais) e em 1771 (nacionais), acabaria revogado. É aprovado novamente em 1921.

1776 – O Estado de New Jersey, nos EUA, permite o voto feminino (e revoga, em 1807). O voto feminino começa a se espalhar Estado por Estado.

1893 – Nova Zelândia permitiu votos femininos para o parlamento. Candidatas mulheres, no entanto, só foram permitidas em 1919.

1901 – Pela primeira vez, há votos de mulheres (restrito a alguns Estados) nas eleições federais da Austrália.

1906 – A Finlândia se torna o primeiro país na Europa a aprovar o voto feminino.

1908 – A Dinamarca aprova o sufrágio feminino nas eleições locais e, em 1915, nas federais.

1916 – Primeira província do Canadá aprova o voto feminino.

1917 – Uruguai insere o voto feminino à sua constituição.

1918 – A Inglaterra aprova o voto de mulheres acima de 30 anos (ou acima de 21 se tiver posses ou marido com posses). No mesmo ano, Alemanha, Polônia e Rússia aprovam leis semelhantes.

1920 – Emenda à constituição dos EUA aprova o voto feminino em todos os Estados remanescentes.

1929 – Após ações judiciais de mulheres pelo direito ao voto, o Equador insere o direito na constituição, embora facultativo.

1931 – Oito anos após aprovar o voto para solteiras ou viúvas, a Espanha estende o direito a todas as mulheres.

1932 – O Código Eleitoral aprova o voto feminino no Brasil. O direito é assegurado na Constituição de 1934.

1945 – Passada a Segunda Guerra Mundial, o voto feminino chega a países como França, Itália e Japão.

1948 – A ONU insere na Declaração Universal dos Direitos Humanos o artigo 21, que determina que governos realizem eleições periódicas com voto secreto e igualdade de gênero.

2015 – Primeira eleição com participação feminina na Arábia Saudita.

endereço-e-horario-modelo-2

Data: 12 de novembro de 2015 a 14 de fevereiro de 2016

Local: Mezanino do 1º Subsolo

Endereço: Av. Paulista, 1578, São Paulo, SP

Tel.: (11) 3149-5959.

Horários: terça a domingo: das 10h às 18h (bilheteria aberta até 17h30); quinta-feira: das 10h às 20h (bilheteria até 19h30)
Ingressos: R$ 25,00 e R$ 12,00 (meia-entrada)

O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo (10h às 18h).
O ingresso dá direito a visitar todas as exposições em cartaz no dia da visita.
Estudantes, professores e maiores de 60 anos pagam R$ 12,00 (meia-entrada).
Menores de 10 anos de idade não pagam ingresso.

Classificação livre. Acessível a deficientes, ar-condicionado.

Fontes: Revista Dona, Masp Art