The 100

 

qDfC7pzsRJM.market_maxres

sinopse

Situada 97 anos no futuro, a história da série The 100 mostra uma civilização destruída pela guerra nuclear. Quando ocorreu o holocausto, cerca de 400 pessoas viviam em doze estações espaciais internacionais. Eles se tornaram os únicos sobreviventes da raça humana. Com o passar dos anos, novas gerações surgiram e agora eles são 4 mil habitantes que se amontoam na Arca, nome dado às doze estações que se uniram. Para tentar sobreviver, regras rígidas foram adotadas, incluindo pena de morte e controle de natalidade. Agora, os líderes da Arca planejam enviar à Terra 100 deliquentes juvenis com o objetivo de avaliar a qualidade de vida no planeta.

The 100 está na sua segunda temporada e acaba de ser renovada para a terceira. É uma série que não te deixa recuperar o fôlego de um episódio para o outro. Fiquei no pé da Lena até ela assistir, e o resultado? Assistiu todos os episódios disponíveis em dois dias.

serie-the-100

A maioria dos 100 considerados delinquentes não chegaram a fazer algo grave, mas nenhum deslize fica impune na Arca. Qualquer crime na Arca é punido com a pena de morte, mas quando a pessoa é menor de idade ela fica presa.

Quando os 100 chegam a Terra constatam que ela é habitável novamente, mas ao decorrer de tantos acontecimentos os líderes da Arca começam a achar que os jovens estavam morrendo, alguns realmente morreram, mas a grande maioria não. Eles só estavam tirando o “bracelete” que mandava os sinais vitais dos jovens para Arca, e quando desativados significava a morte.

Não tinha como a Arca ter certeza do que aconteceria com a nave deles e nem onde eles pousariam. Então, quando o grupo chega a Terra a parte de comunicação da nave com a Arca fica comprometida. Sozinhos eles precisam decidir que tipo de sociedade vão construir ali, se vão continuar a seguir as regras da Arca ou criar novas.

Lincoln e Octavia <3

Lincoln e Octavia <3

o nos achamos

Helena: A série tem como personagem principal a Clarke, que na minha opinião  é meio sem sal, prefiro a Octavia. Já que estou falando dos personagens fundamentais na trama, vou falar de todos, tem o Bellamy, que no começo todo mundo odeia e depois vai gostando dele, aos poucos. Eu ainda tenho pé atrás com ele, mas não o odeio como antes. Tem o Finn, outro mongo, o Jasper, que me irrita em alguns momentos, mas ele é ok. Tem o Mount, a Raven que é uma das personagens femininas mais legais, na verdade essa série inteira tem diversas personagens mulheres fortes.

Dandara: O mais legal da série são os conflitos entre os valores morais dos personagens. O Bellamy passou metade da vida escondendo a irmã Octavia, pois é proibido ter mais de um filho. Quando o conselho da Arca descobre a existência da Octavia, ela e o Bellamy são presos, então ambos odeiam o sistema da Arca. O começo da série realmente te faz sentir repulsa pelo Chanceler e o conselho da Arca. A Clarke e o Finn preferem agir de forma correta com todos, mesmo quando descobrem que a Terra não ficou inabitada todo esse tempo. O conflito entre esses grupos, os “grounders” e os “sky people” é o cenário central da série e mostra como o ser humano sente necessidade de estar sempre em guerra, de impor seu modelo de sociedade aos outros. Aos poucos as pessoas vão definindo seu papel dentro do grupo, quando alguma conflito aparece naturalmente surgem os líderes, os guerreiros, os fracos, os traidores, e as habilidades especificas de cada um.

E não se preocupem, não tem um triângulo amoroso tosco e sem sentido, tem uns romances aqui e ali, mas não é o foco. Dá para brisar o dia todo sobre essa série, mas preferimos que vocês assistam e comentem suas impressões da série com a gente.

 







 

fim de ano

 

O fim de ano pode ser um momento agradável de férias com a família, mas para algumas pessoas pode ser uma experiência nada agradável com parentes menos agradáveis ainda. Nem eu, nem a Lena somos pessoas muito uhuuuuul família tradicional brasileiro, muitooooooooooooooooooooo pelo contrário.

E pensando em pessoas como nós escolhi três séries para ocupar a cabeça e não matar aquele tio inconveniente cheio de piadinhas racistas, machistas e homofóbicas. As séries da lista terão resenhas em 2015.

1. The Newsroom

Sinopse:
Na trama, a visão empresarial da executiva Leona Lansing, CEO da empresa dona do canal de notícias por assinatura UBS, se chocará com os ideais das pessoas que fazem o noticiário, a começar pelo âncora Will McCallister. Emily Mortimer vive a produtora Mackenzie MacHale e Sam Waterston é o presidente da emissora, Charlie Skinner. Alison Pill, John Gallagher Jr., Olivia Munn , Dev Patel e Thomas Sadoski formam a equipe editorial.

Qualquer ser humano interessado em mídia e comunicação deveria assistir esse seriado. É bem difícil conseguir chegar ao nível de jornalismo proposto pelos personagens da série, ainda mais com interesses econômicos intimamente ligados com o nível da audiência. Mas a série é brilhante, está na terceira temporada e te inspira a ser o melhor jornalista da face da terra em todos os episódios (se você tiver algum interesse na área né). Os casos noticiados pelo telejornal da série são reais.

A primeira temporada tem 10 episódios, a segunda tem 9 e a terceira está no 6º episódio, cada um com quase uma hora de duração, então dependendo do seu nível de desespero familiar, 2015 vai chegar rapidinho. E eu quero ser o Will McAvoy quando eu crescer <3

2. The 100

Sinopse:
Situada 97 anos no futuro, a história mostra uma civilização destruída pela guerra nuclear. Quando ocorreu o holocausto, cerca de 400 pessoas viviam em doze estações espaciais internacionais. Eles se tornaram os únicos sobreviventes da raça humana. Com o passar dos anos, novas gerações surgiram e agora eles são 4 mil habitantes que se amontoam na Ark, nome dado às doze estações que se uniram.
Para tentar sobreviver, regras rígidas foram adotadas, incluindo pena de morte e controle de natalidade. Agora, os líderes da Ark planejam enviar à Terra 100 deliquentes juvenis com o objetivo de avaliar a qualidade de vida no planeta.

Imagine 100 pessoas entre 17 e 18 anos livres pela primeira vez na vida, podendo começar uma nova sociedade, com novas regras e tudo mais? The 100 poderia inspirar um novo tratado de análise social e como o ser humano sente a necessidade de estar em guerra com grupos que considera “diferentes”, tudo em nome da “segurança nacional”. Eu amo essa série, está na segunda temporada e todos os episódios são de tirar o fôlego. Pode ser útil como um “A arte da guerra” moderno para sobreviver nesse fim de ano.

3. 2 Broke Girls

Sinopse:
A série narra a vida de duas garçonetes Max, uma garota pobre (que também trabalha como babá para uma socialite), e Caroline, que nasceu rica mas perdeu tudo. As duas se tornam amigas quando começam a trabalhar juntas em um restaurante. Elas tem um sonho de abrir um loja de cupcakes, para isso precisam juntar 250 mil doláres, a cada episódio é mostrado a dificuldade que elas têm em pagar as contas e tentar economizar para realizar o sonho de suas vidas. O humor da série se da, principalmente, nos momentos em que Max apresenta à Caroline coisas do cotidiano de um bairro pobre, que ela jamais havia vivenciado, e Caroline apresentando à Max costumes sofisticados.

Nunca assistiu ou nunca ouviu falar dessa série? Em que mundo você vive??? Não preciso te convencer a começar a assistir 2 Broke Girls, Max Black já fez isso por mim no vídeo acima.

As sinopses e os seriados estão disponíveis aqui.