James Dashner

 

assinatura dandara

foto outubro

“Obra de maturidade de Huxley que pode ser considerada como o contraponto a Admirável Mundo Novo. A consciência crítica, a previsão como fruto de uma cultura efetivamente humanística, tudo isso poderá ser encontrado entremeado nesta elaborada visão das coisas e negócios dos homens. ” – Skoob

“Geração Beat: peça que Jack Kerouac escreveu em apenas uma noite em sua casa, na Flórida. O ano era 1957 o mesmo de “On The Road”.
A peça narra um dia na vida do boêmio Jack Duluoz, alter ego do próprio autor, e de um grupo de amigos que sobrevivem de pequenos trabalhos, tomam o primeiro gole de bebida ainda pela manhã e passam o dia na rua apostando em cavalos e jogando conversa fora.” – Skoob

Esses são os dois livros que eu estou lendo, além dos mangás que vocês já estão cansados de ver. Achei esses dois exemplares por R$10,00 em uma barraquinha da Rua Augusta e não resisti. Em O Despertar do Mundo Novo, Huxley disserta sobre o universo que ele previu em Admirável Mundo Novo, não é um romance, é um tratado, então não sei se combina fazer uma resenha aqui. E Geração Beat, em breve teremos resenha.

Captura-de-Tela-2014-11-27-às-15.21.05-360x73tumblr_nqonvhLGM01s96sbfo1_1280
“Por trás de uma possibilidade de cura para o Fulgor, Thomas irá descobrir um plano maior, elaborado pelo CRUEL, que poderá trazer consequências desastrosas para a humanidade. Ele decide, então, entregar-se ao Experimento final. ” – Skoob

Sim, eu resolvi dar uma chance novamente para Maze Runner. Tinha descoberto alguns spoilers sobre este ultimo livro da trilogia que tinham me feito quase desistir da leitura, mas resolvi me manter forte, principalmente depois de ter visto a adaptação do segundo volume. Podem apostar quando terminar de ler terá uma resenha para vocês. 🙂







 

maze runner

 

  Essa resenha contém spoilers para quem ainda não leu Correr ou Morrer.

sinopse
“O Labirinto foi só o começo… o pior está por vir. Depois de superarem os perigos mortais do Labirinto, Thomas e seus amigos acreditam que estão a salvo em uma nova realidade. Mas a aparente tranquilidade é interrompida quando são acordados no meio da noite por gritos lancinantes de criaturas disformes – os Cranks – que ameaçam devorá-los vivos. Atordoados, os Clareanos descobrem que a salvação aparente na verdade pode ser outra armadilha, ainda pior que a Clareira e o Labirinto. E que as coisas não são o que aparentam.

Para sobreviver nesse mundo hostil, eles terão de fazer uma travessia repleta de provas cruéis em um meio ambiente devastado, sem água, comida ou abrigo. Calor causticante durante o dia, rajadas de vento gélido à noite, desolação e um ar irrespirável – no Deserto do novo mundo até mesmo a chuva é a promessa de uma morte agonizante. Eles, porém, não estão sozinhos – cada passo é espreitado por criaturas famintas e violentas, que atacam sem avisar. 

Manipulação, mentiras e traições cercam o caminho dos Clareanos, mas para Thomas a pior prova será ter de escolher em quem acreditar.” – Skoob

o que eu achei
Por onde começar? Bom, A Prova de Fogo, o segundo livro da trilogia Maze Runner,  gera o mesmo efeito no leitor, do que o primeiro livro, de pura fixação. Você começa a ler tranquilamente, e quando se da por si, percebe que já passou horas e você está quase terminando o livro, por isso tive que me controlar bastante com ele. Terminei ele ontem, e o que posso dizer é que mais que a metade do livro é perfeita, envolvente e te deixa vidrado. Mas nem tudo é lindo, explico mais em baixo.

Depois que os clareanos escapam do Labirinto, eles descobrem como o mundo lá fora é, cheio de Cranks (são pessoas que pegaram a doença conhecida como fulgor que consome o cérebro e deixa a pessoa louca), deserto e mais deserto. Com temperaturas extremamente altas e se você ficar muito exposto, com toda certeza você ganha queimaduras. Tem também chuvas extremamente surreais com diversos, se não milhares trovões, que matam. Mas eles só descobrem tudo isso, depois que o Cruel, os submetem esses novos teste, ou melhor, nova fase. Ah, outro ponto interessante do cruel é que eles “somem” com a Teresa, na verdade eles fazem uma troca. Já que existe outro grupo, igual ao clareanos, só que com meninas. Então eles trocam, colocam Teresa no grupo B e Aris ( o garoto) no grupo A.

A partir disto eles são enviados para uma cidade deserta, cheia de prédios abandonados, com cranks e todos os detalhes que acabei de falar. Thomas, Newt, Minho, e todos os clareanos tem que sobreviver e chegar até um lugar indicado pelo Cruel, para receberem a cura da doença, já que eles foram infectados pelo Cruel. E é exatamente, um pouco depois deste ponto, que o livro começa a me irritar um pouquinho, já que imaginava que iria amar esse, por conta do primeiro.

tumblr_nj5thdYknw1qd64l8o1_1280

Acontece que para eles sobreviverem das chuvas, insolações e principalmente dos cranks, eles tentam entrar num dos milhares prédios abandonados, e lá encontram algumas pessoas com fulgor, mas não em um estado avançado. Thomas negociam com eles, e combinam de levar dois deles, Jorge e Brenda, junto com os clareanos até o final, para conseguirem uma cura a todos. Eles aceitam, obviamente. Até ai, estava tudo bem, os dois novos integrantes combinam de encontrar comida para eles. 

Porque quando eles vão em busca de comida, para se fortalecer para a viagem, alguns Cranks(já no estado avançado), explodem a parte subterrânea em que eles estavam. Nisto o grupo se separa, todos os clareanos ficam com Jorge, e só Thomas fica com Brenda, essa mesma é bem estranha. Eu, pelo menos tive essa primeira impressão dela, pois ela o abraçava toda hora, e fazia algumas coisas como se fossem íntimos a séculos, quase até namorados. E eu não consigo ler um livro sem me por no lugar do personagem, então eu a achei bem esquisita e carente. Nisto o livro começa a irritar um pouco, pois des de Thomas ter a mesma impressão que eu, ele gosta, e ele se divide. Então diversas vezes no livro ele fica “Teresa? Ou Brenda? Brenda? Ou Teresa?”, e eu não sei se vocês sabem, mas eu odeio triângulo amoroso, acho chato pra car****. ¬¬

Enfim, vou tentar resumir agora, se não vou contar todo o livro. Mas para o final do livro, acontece algo entre ele e a Teresa, que meu deus, você fica muito, mas muito com muita raiva dela. Mas quando descobre o porque das atitudes dela, compreende. E Thomas fica todo irritadinha, parecendo um garoto mimado. Não posso contar o que exatamente ocorre porque seria um spoiler enorme. Mas tirando toda essa melação de triâgulo amoroso e Thomas irritadinho, o livro é demais, envolve mesmo, e você fica louca para saber o que vai acontecer no final.

consideraçÑoes finais modelo 2Para finalizar queria dizer que eu fui conversar sobre o final deste livro com a minha amiga, e ela acabou me contando um spoiler, e eu juro que estava tentando me conter nos spoilers, já que sempre sei todos de todos os livros, e não acabava tendo a mesma graças. Mas, enfim, ela me conto um spoiler, e ai já que sabia de um, fui procurar mais, e meu deus! Já estou pressentindo que vou odiar o terceiro, e último livro de Maze Runner, mas vou ler né. Por motivos de: comprei o box, preciso ler todos os livros dele.

Se você se interessou e não leu o primeiro livro, já fizemos a resenha dele, é só clicar aqui.

O filme que é baseado nesta trilogia, ainda só tem o primeiro, o segundo chegará aos cinemas no dia 18 de setembro de 2015, segundo divulgou o próprio autor do livro que inspirou o filme.

Espero que tenham gostado da resenha, e por favor comentem em baixo se vocês curtem a Brenda, porque não vou com a cara dela, e todos os comentários que eu li de resenhas desse livro é todo mundo apoiando ela, não quero ser a estranha no ninho sozinha, poxa. 🙁

 







 


livro-dandara-e141384207954321

sinopse
Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho.

Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar – chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo.

Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito. ” – Skoobo que eu acheiIMG_5920
Meu deus, eu amei esse livro. Como já havia dito no Livros que estamos lendo, deste mêssempre ouvia falar dele, mas não dava muita atenção, até ver o filme. Mas sem comparações, o livro é dez vezes melhor. Apesar de ter começado a ler o livro comparando com o filme, e a cada momento ficava pensando em como a cena do filme era tão boa quanto o do livro, esse pensamento não durou muito. Pois, quando terminei de ler, e tentei reassistir o filme não deu, a cada momento ficava “nãooooo, cade essa cena?” ou “por que colocaram isso??”. Então a minha dica é se você está com interesse de ler o livro, veja primeiro o filme, você vai gostar dele. Fazendo nessa sequência você não vai ficar tão indignado. Mas para não falar que o filme não tem nem um ponto melhor que o livro, vou dizer apenas um, e que faz bastante diferença. O Thomas, do filme é 10 vezes mais legal.

Bom, mas voltando ao livro. Temos o Thomas como personagem principal e como secundários Minho e Newt, sendo o primeiro meu preferido. Temos Teresa também, que é a única garota da Clareira. E por incrível que apareça nem um dos garotos tentam nada com ela, mesmo eles estando “aprisionados” a mais de dois anos, e só entre meninos. Achei essa parte bem fantasiosa, mas é um livro, e com a classificação infanto juvenil (no Brasil), da para entender. Apesar de conter uma cenas bem fortes para uma criança ler. Por isso e mais outras, eu acho que a classificação americana (YA- Young Adults) entraria bem melhor em diversos livros que são traduzidos aqui no Brasil, e acabam ficando como infanto juvenil. Maze Runner é um desses.
IMG_5919
Você, literalmente, se fixa ao livro. A cada capítulo acontece alguma coisa que te deixa muito intrigado querendo ver o próximo, e o próximo, e o próximo. Por isso se você não se controlar você o acaba em apenas um dia (como um amigo meu fez). E o segundo volume da trilogia também é tão envolvente quanto o primeiro, sim já estou quase terminando o segundo.

Outro ponto que mais gostei é que o livro é uma distopia, mas não foca nela em si. Na verdade o foco é nos testes que os “clareanos”, como os próprios garotos se intitulam, são submetidos por conta do Cruel.  E eu quase soltei um spoiler agora, melhor eu finalizar essa resenha.

consideraçÑoes finais modelo 2
Eu indico esse livro para todas pessoas que gostam de livros de aventura ou de distopias, como Jogos VorazesE só não dei cinco estrelas para o livro, porque achei um pouco mal escrito, mas isso pode ser, talvez, pela culpa da tradução. Mas mesmo assim, vale a pena, é muito, MUITO, bom. Um dos melhores que eu peguei para ler. Sério.

Abaixo, como sempre, deixo o trailer do filme baseado no livro. E se você viu o filme, ou leu o livro, comenta com a gente o que achou, e se também achou o livro bem melhor. 🙂