Gilmar Rodrigues

 


livro-dandara-e1413842079543211
sinopse

“Depois de quatro anos de pesquisa, seis meses escrevendo, cem entrevistas, chego ao fim da aventura com o sabor de ter vivido experiências únicas. Até cartas com Chico Picadinho, um assassino célebre, eu troquei. Quando ele soube que eu trabalhava na televisão, temeroso de uma versão desfavorável dele na “mídia”, cortou os contatos. Muitas tentativas de descobrir mulheres de “serial killers” deram errado. Mas sempre era possível encontrar uma história nova, uma lenda sobre mulheres bem sucedidas que casavam com prisioneiros ou alguma outra faceta do “fenômeno” da atração feminina por determinados bandidos. Tudo começou de verdade quando comprovei que o Maníaco do parque recebia muitas cartas.” – Skoob

 


o que eu achei
IMG_0196
Este post está um pouco atrasado pelo simples fato de que eu esqueci que ontem era segunda-feira. Eu jurava que era domingo. Mas vamos ao que interessa ao livro Loucas de Amor, de Gilmar Rodrigues com desenhos do Fido Nesti. O livro reúne diversas histórias, como o próprio subtítulo diz, sobre mulheres que amam, se envolvem, com criminosos.

A contrário do que diz a sinopse o livro não foca nas histórias mais famosas como do Maníaco do Parque e do Chico Picadinho, por exemplo. Na verdade são pequenas histórias que envolvem um ou mais personagens, e não só mulheres, pois tem um capítulo inteiro com os presos que ele conseguiu entrevistar.

Outro ponto interessante é que apesar dele não fazer uma analise psicológica em cima dessas mulheres o leitor consegue perceber nitidamente que em quase todas, se não for todas, sofreram algum abuso na infância, seja sexual ou de negligência. E também aparentam estarem “acostumadas” a se relacionarem em relacionamentos abusivos. Por exemplo, logo na primeira história temos uma mulher que não estava feliz com o casamento, então o largou. Morou na rua, apanhou na rua, se apaixonou por um preso, que quando foi solto a agredia. E quando ele voltou a ser preso, ela o largou, e estava namorando um alcoólatra quando deu a entrevista.

IMG_0201
Outro ponto muito legal, se assim posso dizer, é que você consegue perceber (se você entende um pouco do universo dos serial killer) que essas mulheres tiveram/tem histórias muito parecidas com a infância desses criminosos, talvez seja por isso que elas se identifiquem com eles. E o mais interessante, todas relataram que eram super bem tratadas por eles na cadeia, que recebiam tratamento de “princesa” e se sentiam muito amadas.

Na minha sincera opinião deveria existir mais estudos e livros sobre essas mulheres, pois as histórias e as vidas delas são tão interessantes quanto aos dos criminosos que elas são apaixonadas.
consideraçÑoes finais modelo 2Esses livros mais jornalísticos são o típico livro que só vai agradar quem gosta mesmo desse tema e principalmente que quer, ou tenta, entender a parte psicológica da coisa toda. Por isso eu não tinha pensando em fazer resenhas desses livros que tive que ler para meu tcc, mas vocês pediram tanto, que acho, como já disse em outras resenhas, tem mais gente interessada nesse tema do que eu imaginava.

Por fim, caso vocês queiram adquirir este livro, infelizmente, você não achará em qualquer livraria. Pois eles não vendem mais. Então vocês podem procurar em sebos, o meu encontrei na Estante Virtual.