Série

 

ivwaxi
Hoje vim falar de mais um novo amor meu, The Shannara Chronicles. É uma nova série da MTV americana que confesso que comecei assistir por causa do ator Austin Butler, conheci ele graças The Carrie Diaries, mas infelizmente foi cancelada. : (  Voltando a série é uma adaptação de Jon Favreau com roteiro de Al Gough e Miles Millar, ambos de Smallville, da obra de Terry Brooks. A primeira temporada terá como referência The Elfstones of Shannara, segundo volume da obra literária.

É um misto de mágica com reino de fantasia. A narração ocorre milhares de anos após a destruição da atual civilização, ou seja, é  um futuro distópico. No qual um holocausto nuclear e químico fez com que o povo retornasse a uma espécie de época medieval.

Na história, o druida Allanon (Manu Bennett, de Spartacus) encarrega Will Ohmsford metade humano e metade elfo (Austin Butler) de salvar o reino ameaçado por um demônio que pretende destruir o poder dos Elfos. Para realizar sua missão, Will se une à Amberle (Poppy Drayton), uma princesa escolhida para proteger uma árvore mágica capaz de expulsar os demônios do reino. Ela é neta do Rei Eventine (John Rhys-Davies, de Sliders) e tem Catania (Brooke Williams, de Spartacus) como melhor amiga.

 
large
Em sua jornada, o grupo encontra Bandon (Marcus Vanco), um jovem que é temido por sua família por ter estranhas visões. Ele é encontrado acorrentado a uma parede e passando fome. Acolhido pelo grupo, ele desperta o interesse de Allanon, que acredita que suas habilidades poderão ajudá-los a salvar o reino. Outra que se une a eles é Eretria (Ivana Baquero), uma humana que cresceu no meio de bandidos, conhecidos como os Rovers, com quem aprendeu a sobreviver.

Um dos pontos fortes dessa série são as mulheres, elas foram construídas de forma extramente reais e fortes. Temos Amberle que foi a primeira elfa a participar de uma corrida, para elegerem os sete protetores da árvore Ellcrys, que até então nunca havia tido uma mulher. Além disto ela foi escolhida pela árvore, não posso dizer para o que se não será spoiler, e sai em sua jornada, além de ter diversas atitudes independente. Nem preciso dizer que ela é a minha favorita,  não é?

tumblr_o1mhcvXLlQ1qjzdvgo2_500
Outra personagem feminina que chama bastante atenção é a Eretria, como ela cresceu no meio de bandidos ela nunca foi livre. Por isso sempre foi obrigada há ter uma personalidade forte para sobreviver. Muitos fãs julgam ela e não gostam dela por certas atitudes dela, mas eu a entendo completamente. Resumindo, o personagem que menos chama atenção é o Will. Desculpe, mas é sério. E nem sei o porque botaram o triângulo amoroso na história, é o único ponto negativo na série. Vocês sabem, eu odeio triângulo amorosos, mas enfim.

Abaixo deixei o trailer e o link da onde vocês conseguem assistir a série. Por favor, comentem comigo que vocês acham, e se alguém aqui leu o livro me falem se valem a pena, estou pensando seriamente em ler. 🙂

Onde assistir: aqui








 

htgawm-cover
Hoje vim falar de uma série que simplesmente não consegui largar um dia se quer até chegar no último episódio e já estou morrendo por que quero mais, e muito mais. E acreditem não é do netflix.

How to Get Away with Murder acompanha a vida pessoal e profissional de Annalise Keating, uma professora de Direito Penal da fictícia Universidade de Middleton, na Filadélfia, uma das mais prestigiadas Escolas de Advocacia na América. Ela trabalha como advogada, obviamente. E neste ano Annalise seleciona um grupo de seus melhores alunos de sua turma da universidade para trabalhar em seu escritório. São eles: Connor Walsh, Michaela Pratt, Asher Millstone, Laurel Castillo e Wes Gibbins.

Em sua vida pessoal, Annalise vive com seu marido Sam Keating, um renomado psicólogo, mas também vive um relacionamento às escondidas com Nate Lahey, um detetive local. Quando sua vida pessoal e profissional começar a entrar em colapso, Annalise e seus alunos se verão envolvidos, involuntariamente, em uma trama de assassinato.

how-to-get-away-with-murder
A série, intitulada pelos fãs como HTGAWM, é transmitida pela ABC desde 25 de setembro de 2014. Foi criada por Peter Nowalk, tem como produtora executiva Shonda Rhimes e distribuído pela ABC Studios. Devido o contrato de Viola Davis as temporadas não podem ser muitos longas, podendo ter apenas 15 episódios e no máximo 16.

A série por enquanto tem duas temporadas, a segunda está em hiatos e volta dia 11 de fevereiro nos Estados Unidos, no Brasil a segunda temporada está sendo transmitida no canal pago Sony. Abaixo deixei o trailer da primeira temporada. 🙂

Onde assistir: aqui








 

making-a-murderer-1200x713
Hoje vim comentar de uma série documentário que está todo mundo comentando, mas não tem como não falar. Making a Murderer. Eu criei curiosidade sobre ela por causa do tema, como vocês sabem eu amo assunto que envolvam assuntos policias, ainda mais policiais corruptos. Mas antes de chegar nesse ponto, vou dar uma resumida na história de Steven Avery, o personagem principal desta história.

Steven Avery (nascido em 9 de julho de 1962) é um americano de Manitowoc County, Wisconsin, que ficou 18 anos preso por estupro em 1985. Mas em 2003 ele foi solto, graças a um exame de DNA, que provava que ele era inocente, e quem tinha cometido o crime tinha sido outro homem.

Logo no começo do documentário já acompanhamos a saída dele da prisão e de como ele foi um dos exemplos de mal conduta de investigações entre o sistema jurídico e policial dos Estados Unidos ( e se vocês pesquisarem um pouquinho no google irão perceber que ele foi mais um número entre vários outros). Basicamente, por ele morar em uma cidade pequena e arrumar algumas confusões o xerife tinha bronca dele então ele queria se livrar do encrenqueiro da cidade. Para ficar mais claro. Este problema jurídico nos EUA de mandar inocentes para prisão é tão grave que lá existem ONGS e advogados que trabalham só para pegar este tipos de casos! 

making-a-murderer
Obviamente que Avery processou todos os envolvidos em sua condenação injusta, mas não demorou muito para logo ele ser acusado de outro crime. Desta vez de homicídio.

Foi em 2005, no meio dos depoimentos para sua ação civil contra o departamento do xerife de Manitowoc County, que Avery foi acusado e preso pelo assassinato da fotógrafa Teresa Halbach. Ele foi condenado em 2007 e sentenciado á prisão perpétua sem liberdade a condicional. O caso está sob recurso a partir de janeiro de 2016, e uma nova equipe de advogados de defesa foi anunciado, Katheleen Zellner e Tricia Bushnell.

12573820_1675193849425714_3220749348562625108_n

Montagem linda e maravilhosa dos advogados (da época) do Steven

O que intriga durante o documentário é a falta de algumas provas e a certas coisas que ficam na cara que foram combinadas, só assistindo a série para vocês poderem entender melhor. Outro ponto muito horrível nesta história toda é de como eles (investigadores) usaram e abusaram do sobrinho de Steven, Brendan Dassey o acusando sem nenhuma prova física e o sentenciaram a prisão perpétua também!

O foco da série é toda a parte jurídica, as provas e as descobertas maravilhosas que os advogados fizeram ( e que os policias não foram capazes). Making a Murderer foi lançado em dezembro de 2015, e tem cerca de 10 episódios, dirigido por Laura Ricciardi e Moira Demos.

Curiosidade: Steven pediu para assistir ao documentário, mas foi negado. Por que será ? Enfim, fiquem com o trailer abaixo e com o primeiro episódio disponível no youtube também.








 

dorama - flower boy ramen shop

(Flower Boy Ramen Shop)

Segunda-feira é dia de resenhas literárias por aqui e é justamente por isso que eu escolhi esse dia para esse post. Vocês devem ter percebido que as resenhas andam meio sumidas e vou contar o motivo: DORAMAS.

Mangás, animes, doramas, k-pop, uma coisa leva a outra e eu preciso de uma rehab urgente (ou não, me deixa ser feliz em uma realidade paralela). Mas foco no dorama.

Doramas são novelas asiáticas com os mais variados temas e geralmente possuem entre 16 e 20 capítulos. Podem ser j-drama (drama japonês), k-drama (drama coreano), c-drama (drama chinês) e etc. Você só precisa escolher bem o seu dorama para começar uma jornada sem volta. Em novembro eu dei os primeiros passos em direção ao meu vício em doramas coreanos.

Viciei nos coreanos porque o primeiro dorama que eu assisti foi o japonês Itazura na kiss (baseado no mangá de mesmo nome) no Crunchyroll, e a experiência não foi muito legal. A história me incomodou bastante, então fui dar uma olhada na versão coreana (Playful kiss, disponível no Netflix) que uma amiga tinha gostado bastante, e não tem comparação, a versão coreana é muito superior, tanto na adaptação da história, quanto na escolha do elenco (saudades Oppa Hyun Joong – versão flower boy, a de agora socorro, até agrediu a namorada).

Saudades do sorriso mais fofo do universo flower boy. Agora é um babaca que agride a namorada e não assume o filho 🙁

Playful kiss <3

Os romances em doramas geralmente são bem conservadores, puritanos, sem cenas explicitas, mas geralmente são bem fofinhos (ou bem irritantes se você é uma pessoa sem paciência como eu). É um choque cultural no começo, os costumes deles são beeeeeeeeeeeeeeeeeem diferentes dos nossos, mas essa é a parte mais legal.

E todos os que eu assisti até agora seguem um padrão. Eu ia listar os clichês de dorama aqui, mas nada superaria esse vídeo maravilhoso:

Mas aqui vão 5 motivos para você ler esse post até o final:

choi-siwon

siwon she was pretty

siwon

kim bum

lee-min-ho

Pode objetificar os boys? Pode sim!

Vou indicar aqui alguns doramas que eu gostei, todos são comédias românticas e a maioria tem flower boys. Alguns eu já terminei, outros ainda estão em exibição e Boys Over Flowers (que eu não to gostando muito) porque parece ser obrigatório indicar.

Playful Kiss (장난스런 키스)

playful-kiss-2

Estrelado por Kim Hyun Joong e Jung So Min
Uma adaptação do manga clássico Itazura No Kiss, Playful Kiss é um drama acalentador e alegre sobre se apaixonar e amadurecer ao mesmo tempo. Oh Ha Ni, apelidada de “Noah’s snail” pelo seu pai e amigos por causa de sua habilidade de continuar tentando mesmo que ela não seja a mais brilhante das pessoas, tem uma meta em mente: cativar o coração do gênio da escola Baek Seung Jo. Depois de manter essa paixão por muitos anos, ela finalmente tem coragem para entregar uma carta para ele onde ela confessa seus sentimentos. Seung Jo, um perfeccionista, rejeita-a com frieza. Quando a casa de Ha Ni é destruída por um terremoto, ela e seu pai se mudam para a casa de um velho amigo da família – nada menos do que a casa do pai de Seung Jo. Agora Ha Ni e Seung Jo precisarão lidar com a situação embaraçosa de viverem sob o mesmo teto. Será que uma garota de ensino médio determinada e amorosa conseguirá derreter o coração desse gênio durão? Kim Hyun Joong, líder da boy band popular SS501 e famoso por seu papel em Boys Over Flowers é acompanhado pela promissora Jung So Min nesse drama! – Drama Fever

É fofo, é leve, é irritante. Amei e ao mesmo tempo odiei a protagonista. Em alguns momentos quis agarra-la pelos ombros e gritar ACORDA QUERIDA, VAI BUSCAR UM RUMO NA SUA VIDA. Mas torci pelo casal, vibrei com o final. E o sorriso do Hyun Joon <3 (pena que ele quis mudar e ficou feio).

Oh My Venus (오 마이 비너스)

oh my venus

Estrelado por So Ji Sub e Shin Min Ah
Em um esforço para sustentar a sua família, Kang Joo Eun (Shin Min Ah) tornou-se uma advogada viciada em trabalho sem qualquer consideração pelo seu bem estar pessoal, ficando com excesso de peso, sem atrativos e deprimida no auge de sua vida, Joo Eun vai atrás de Kim Young Ho (So Ji Sub), um personal trainer de renome, que considera a saúde uma questão de bem estar pessoal. Pode Yong Ho com sua teimosia perfeccionista fazer com que Joo Eun tenha o seu corpo e coração de volta em forma? – Drama Fever

Esse dorama ainda está em exibição e tem 10 episódios lançados. Rolou uma identificação violenta com a protagonista, vontade de dar um abraço nela e dizer: “vem cá miga, eu sei bem como é ser ex-magra e ter problemas com o peso”. Assisti todos os episódios lançados em uma madrugada, é um contexto mais adulto e ainda tem o boy de “Noble, my love”.

Noble, My Love (고결한 그대)

noble my love

Estrelado por Sung Hoon e Kim Jae Kyung
Lee Kang Hoon (Sung Hoon) pode até ser o presidente de uma das maiores empresas do mundo, mas ele ainda tem algumas coisas para aprender sobre as pessoas. Depois que ele escapou por pouco de um esquema de sequestro, Kang Hoo recebe um curso intensivo sobre paixão quando ele encontra um porto seguro na doce veterinária chamada Yoon Seo (Kim Jae Kyung). Mas será que o frio CEO será capaz de reconhecer o que é carinho e bondade? – Drama Fever

Um dos meus favoritos. Ele é curtinho, direto e lindo. O casal tem uma química maravilhosa. O Sung Hoon é uma delicinha e a Kim Jae Kyung é a atriz coreana mais bonita que já vi. São 20 episódios curtinhos de 15 minutos.

She Was Pretty (그녀는 예뻤다)

she-was-pretty-poster

Estrelado por Park Seo Joon e Hwang Jung Eum
Com o colapso dos negócios de editoração da família, Kim Hye Jin (Jung Da Bin) perdeu tudo, inclusive sua beleza, enquanto seu velho amigo, Ji Sung Joon (Yang Han Yeol) se transformou de um nerd feio a um lindo editor de moda. Quando a ex garota rica (Hwang Jung Eum) e o agora bem-apessoado rapaz (Park Seo Joon) são reunidos numa potência da moda, seus destinos opostos rapidamente se tornam mais dramáticos do que as publicações podem aguentar. – Drama Fever

Tem o Siwon, é o suficiente!! É o último dorama que ele gravou antes de ir para o serviço militar obrigatório coreano.

Imaginary Cat (상상고양이)

imaginary cat

Um ser humano e um gato, ambos com traumas psicológicos, vão morar juntos e curam seus traumas através da convivência. Hyun Jong Hyun (Yoo Seung Ho) cria quadrinhos on-line e trabalha meio período em uma livraria. Tornar-se um criador de quadrinhos on-line sempre foi seu sonho mas ele tem dificuldades devido à sua teimosia e personalidade egocêntrica. Em um dia chuvoso, ele encontra um gato da rua e decide levá-lo para morar com ele. O gato recebe o nome de Bok Gil e a partir desse dia, Jong Hyun começa a se abrir com ele. Hyun trabalha duro para ganhar o sustento de ambos. O drama vai contar a história sob o ponto de vista de Hyun e também sob o ponto de vista do gato, que tem uma visão diferente a respeito dos problemas na vida do seu humano. Embora o gato não possa dar conselhos ao Hyun, ele passa a ser uma fonte de conforto e de apoio durante seus momentos difíceis. – Viki

Ainda está em exibição, só tem 4 episódios de 20 minutos (o 5º sai hoje \o/), e um dos protagonistas é uma gatinha, tem como não amar?

Boys Over Flowers (꽃보다 남자)

boys over flowers

Estrelado por Gu Hye Sun e Lee Min Ho (Heirs)
Jan Di é uma garota normal, filha de uma família de 4 pessoas que tem uma tinturaria, onde trabalha ajudando seu pai fazendo as entregas das roupas. Certo dia, enquanto levava a roupa de um estudante na melhor escola do país, a Escola Shinwa, ela sem querer o salva do suicídio. Por tal ato ela ganha uma bolsa de estudos nessa mesma escola, voltada para a elite. Nessa escola tem um grupo de 4 jovens que são chamados de F4 (Flowers 4), que tem o respeito de todos os estudantes, por isso mandam e desmandam lá dentro. Para ajudar uma amiga, ela enfrenta o líder do F4, Goo Joon Pyo, e esse, revoltado por tal insolência, faz da vida de Jan Di impossível. Mas ela não desiste. Mas então algo mais começar a surgir entre os dois… Porém, Jan Di começa a sentir algo por outro membro do F4, Yoon Ji Hoo; um rapaz frio e fechado no seu mundo, mas que pouco a pouco, por causa dela, começa a se abrir ao exterior e ao amor, tornando-se rival do seu amigo Goo Joon Pyo. – Drama Fever

Ainda não sei porque eu estou assistindo (mentira sei sim, tem o Kim Bum), mas como todo mundo ama vamos ver se até o final esse dorama me conquista.

Playful kiss é o único dessa lista que tem no Netflix, mas o Drama Fever e o Viki tem uma lista beeeeeeeeeeeeeem extensa, cheia de opções para vocês. É o mesmo sistema do Crunchyroll, você se cadastra e tem a opção gratuita e a premium.

Fighting!

Ps: Sexta vou falar de k-pop por aqui na playlist da semana. Outra substância perigosíssima que eu não consigo mais viver sem.

Ps2: Passei a madrugada escrevendo esse post porque fiquei distraída com ouvindo meus bias. “I AM A GOOD BOY” 😉








 

Sei que muitos de vocês estão de férias ou estão saindo de recesso de fim de ano. Com isso resolvi separar séries, que particularmente amo e não são tão longas, tipo 9 ou 10 temporadas. Ou seja, séries que vocês irão conseguir acompanhar tranquilamente ou acabar com elas em uma madrugada.

Já avisando que todas que citarei aqui em baixo tem no netflix, fiz essa lista pensando exatamente em todo mundo, já que sei que hoje em dia a maioria das pessoas tem essa maravilha em seu computador. 🙂

Sense8

No mesmo mês, dia, hora,  minuto e segundo os oito personagens principais da séries fazem seus aniversários. Cada um desses indivíduos é de um país e cultura diferente.  Em seu cotidiano, todos subitamente têm uma visão da violenta morte de uma mulher chamada Angélica e, a partir de então, eles, de repente, descobrem estar mental e emocionalmente ligados um ao outro, sendo capazes de se comunicar, sentir e apoderar-se do conhecimento, linguagem e habilidades de cada um. Esse tipo de dom é dado o nome de Sensate. Para saber mais sobre a série você pode acessar este post que fiz exatamente sobre ela, clicando aqui.

Número de temporadas: 1

Rupaul’s Drag Race

Rupaul’s Drag Race é como se fosse um American’s Nex Top Model só que muito mais divertido, e com muitas unhas postiças e perucas. Tudo que eu mais amo, caem entre nós. Como é um reality show não essa regra de seguir as temporadas a risca. A primeira temporada não tem mais no netflix porque a multishow comprou. 🙁  Se você quiser saber mais sobre é só clicar aqui.

Número de temporadas: 6

Under The Dome

É uma série americana de drama, ficção científica e mistério desenvolvida por Brian K. Vaughan e baseada no romance homônimo (“Sob a Redoma”, no Brasil) de Stephen King.  Para mais detalhes dessa série é só clicar aqui.

Número de temporadas: 2

Narcos

Está ai uma série que eu preciso começar a ver, aliás gente America Latina né! Dandara já cansou de me indicar essa série, então vou começar logo logo. E para mais detalhes da mesma é só acessar aqui.

Número de temporadas: 1

Jessica Jones

Por fim, e não menos importante uma das séries que entrou para minha lista das favoritas. Sério, estou apaixonada por ela. Jessica Jones que é uma super heroína ficcional de um quadrinho estadunidense publicado pela Marvel Comics. Para mais detalhes desta série é só clicar aqui.

Número de temporadas: 1

E ai gostaram da lista? Já tinham assistido algum desses? Comentem com a gente 🙂