Resenha

 

Aviso de gatilho: Esse livro se trata de suicídio, se você tiver tem depressão ou teve algum histórico eu não recomendo esse livro para você. E se você estiver se sentindo assim, POR FAVOR, ligue 141 centro de valorização a vida ou fale com alguém. Tudo passa, acredite.

Demorei muito há trazer uma nova resenha de algum livro para vocês e tudo isso se deve porque estava (e ainda estou saindo) de uma ressaca literária muito forte que me pegou ano passado. Mas finalmente voltei a ler, mesmo que seja aos poucos. E por conta disso resolvi mudar um pouco o designe deste tipo de post para vocês, por motivos de: deu vontade. hehehe. Me falem se gostam.

Agora vamos ao livro.
Antes de tudo tenho que admitir que só fui finalmente ler esse livro (pois já sabia da existência dele fazia anos) por conta da série. Tudo se inicia quando Clay, personagem principal, recebe uma caixa cheias de fitas cassetes dentro.  Nas fitas, contém a voz de Hannah, onde ela conta que existem 13 razões para ela ter cometido suicídio. As pessoas que são citadas nestas fitas de alguma forma fizeram o caso psicológico da personagem se agravar.

Clay não faz ideia do porque recebeu as fitas – ele sempre teve uma queda por ela -, mas sabe que algum momento seu nome ira ser citado. Então, em apenas uma noite, seguindo o mapa – dado por Hannah – ele escuta tudo o que ela tem a dizer. 

Sabe aquele boato, fofoca sobre você que não é verdade? Com toda a maldade dos adolescentes do ensino médio, isso é o que se deu origem, como um estopim, por tudo que veio a seguir na vida da Hannah e a seguiu por muito tempo. E nada era verdade.

“Aqui vai uma dica. Se você tocar uma garota, mesmo sendo de brincadeira, e ela empurrar para longe, deixe…ela…em paz. Não toque nela novamente. Em nenhum lugar! Simplesmente pare. Ela vai sentir nojo se você fizer isso.” – p. 48

Os 13 Porquês é narrado em primeira pessoa e vai intercalando com as gravações de Hannah enquanto acompanhamos Clay, que ouve tudo. É como se tivéssemos dois personagens principais no enredo. Esse livro não é fácil, mas assim como Clay, você deseja escutar tudo o que ela tem a dizer principalmente por curiosidade e porque logo de cara criamos empatia, solidariedade por sua personagem. A leitura acaba sendo rápida, mas a digestão é demorada. Ler a história de alguém desistindo da própria vida e mostrando crimes tão brutais que aconteceu com ela, é no mínimo bem forte e dificilmente tu não ficará abalado.

Jay Asher realmente consegue conectar o leitor a Hannah e Clay. Você sente toda a dor, desespero, solidão e vazio. Outro ponto que gostei bastante é que ele mostra a cara da misógina e o machismo. Mas para eu contar com detalhes sobre isso teria que falar com spoilers. E isso deixo para o vídeo que estou me programando para gravar para vocês sobre as diferenças do livro e série. Quando estiver pronto eu colocarei aqui.

“Não podemos reescrever o passado.” – p. 55

 

 

Você pode comprar os livro em dois sites: buscape e estantevirtual








 

Olá! Tudo bom com vocês? 🙂

Perguntei no twitter para vocês o que vocês preferiram e vocês escolheram. Então separei alguns dos meus documentários favoritos, todos são bem humanos e voltados aos direitos humanos. Aqui só rola amor entre nós. Ok? Ok, então.


A grande maioria já fiz resenha aqui, então se quiserem saber mais detalhes de cada um só ver a lista aqui em baixo:
She’s Beautiful When She’s Angry
The Hunting Ground
Tricked 

5 documentários imperdíveis








 

Príncipe Mecanicosinopse“Tessa Gray não está sonhando. Nada do que aconteceu desde que saiu de Nova York para Londres (ser sequestrada pelas Irmãs Sombrias, perseguida por um exército mecânico, ser traída pelo próprio irmão e se apaixonar pela pessoa errada) foi fruto de sua imaginação. Mas talvez Tessa Gray, como ela mesma se reconhece, nem sequer exista. O Magistrado garante que ela não passa de uma invenção. Para entender o próprio passado e ter alguma chance de projetar seu futuro, primeiro Tessa precisa entender quem criou Axel Mortmain, também conhecido como Príncipe Mecânico.”Skoob 

o-que-eu-achei

Confesso que demorei para concluir a leitura de Príncipe Mecânico. Mas não porque o livro é ruim e sim porque estava uma loucura essas últimas semanas de maio aqui pra mim, com meu aniversário e o intercâmbio se aproximando. Pórem, faltava somente 20 páginas e consegui terminar. E olha, que reviravolta.

Como já sabemos, por causa da resenha que fiz do primeiro livro Anjo Mecânico, essa série se passa em uma época diferente, para ser mais exata no ano de 1878 em Londres. Neste segundo volume não temos tantas cenas de ação, mas temos mais aprofundamento dos personagens e apresentação de novos. Podemos conhecer mais sobre Maguns, que tem um papel de extrema importância neste livro; Jessamine parece estar escondendo segredos; Shopie se mostra muito mais que uma simples empregada, se mostra amiga, e uma mulher muito forte e guerreira; o casal Henry Charlotte também tem suas vidas, histórias e feridas expostas, e compreendemos melhor vários detalhes sobre conflitos entre a família da moça e os Lightwood.

E finalmente conhecemos mais da história do Will, admito que quem me disse que eu iria compreender ele estava certo, mas vale lembrar que não pode se levar livros para vida real. Estou ressaltando isso porque vi em muitas resenhas e vejo muitas pessoas que por conta deste tipo de livro acredita que os “bad boys” da vida real são bonzinhos no fundo, só que não. Infelizmente é só em livros mesmo.

Captura de Tela 2016-05-28 às 17.34.17
E sobre a Tessa personagem principal, começa seu treinamento físico, e tem um crescimento ótimo neste livro. E outro ponto muito marcante na vida dela é sobre sua dúvida entre Will e Jem, sim temos um triângulo amoroso. Geralmente, pra quem lê a minhas resenhas já sabem que eu odeio. Mas neste eu gosto e torço para ela ficar com os dois. Porque eles são ótimos. 

 Enfim, sobre Magistrado ele fica bem sumido neste livro, e poucas dúvidas sobre a vida de Tessa são respondidas. Mas vale dizer que todos parecem estar participando de um enorme jogo de xadrez, do qual o Magistrado já sabe todas as jogadas, e apenas espera para dar o xeque-mate.
 consideraçÑoes-finais-modelo-2Como eu já havia dito antes toda vez que eu leio algum livro da Cassandra Clare sinto que estou uma Fanfic e isso não é ruim, porque quando uma fanfic é bem escrita te prende uma forma que tu não consegue parar de ler. É um livro cheio de sentimentos, dores e aflições. E uma ameaça velada, pairando sobre o ar como um mau agouro. Sou toda elogios para este volume, gostei mais do que o primeiro, e mais uma vez Cassandra está de parabéns. Ela sabe como prender, envolver e surpreender o leitor.

 Príncipe Mecânico é uma ponte para o terceiro livro da série, e seu grande desfecho.  Já aviso que é bem difícil tu terminar esse livro sem se emocionar, ele realmente cativa. E como sempre falo e deixo aberto para vocês se vocês quiserem comentar a baixo sobre o livro a saga a vontade, adoro conversar com vocês. 🙂

Onde comprar: buscape e estante literária








 

anjo mecânicosinopse
“Anjo mecânico apresenta o mundo que deu origem à série Os Instrumentos Mortais, sucesso de Cassandra Claire. Nesse primeiro volume, que se passa na Londres vitoriana, a protagonista Tessa Gray conhece o mundo dos Caçadores de Sombras quando precisa se mudar de Nova York para a Inglaterra depois da morte da tia. Quando chega para encontrar o irmão Nathaniel, seu único parente vivo, ela descobrirá que é dona de um poder que capaz de despertar uma guerra mortal entre os Nephilim e as máquinas do Magistrado, o novo comandante das forças do submundo.” Skoob
o-que-eu-achei

Anjo Mecânico é o primeiro livro da trilogia Peças Infernais da Cassandra Clare. São livros anteriores da saga Instrumentos Mortais, geralmente as pessoas lêem pela ordem de lançamento, mas eu preferi começar com a ordem cronológica. Já que eu passei horas conversando com uma fã da mesma (Ana Ferreira) pelo meu snap, e ela teve a maior paciência do mundo para me explicar tudo, e contou que achava melhor eu começar pela seqüência de tempo, pois iria me explicar muitas coisas que iria ter na saga mais para frente. E também pelo fato que a própria autora queria lançar Peças Infernais primeiramente, só não o fez por conta da editora que preferiu lançar Instrumentos Mortais antes. Acho que consegui explicar isso, certo?

Bom, neste livro temos como personagem principal a Tessa, órfã, e uma adolescente de apenas dezesseis anos. Morava com sua tia em Nova York, quando a mesma falece ela se muda para Londres, para viver com seu irmão. Porém quando chega na cidade descobre que foi sequestrada e é submetida há diversos testes por estranhas irmãs feiticeiras. Logo ela descobre que ela não é mundana (humana) e que tem poderes, com um simples toque em algum objeto pessoal ela consegue mudar seu corpo, torna-se a pessoa, a dona do objeto que está tocando.

Ela fica trancafiada, e a única coisa que sabia era que estava sendo treinada para ser entrega para se casar com Magistrado.  Até um dia ser resgata por Will Herondale, um caçador de sombras. Caçadores de sombras seriam metade anjo e metade humanos, que combatem demônios. Ele a leva até o Instituto, mas por conta por tudo que passou demora um tempo para confiar em todos a sua volta.

Captura de Tela 2016-04-19 às 19.30.39
No instituto ela conhece outros caçadores de sombra como a Coordenadora do Instituto Charlotte, e seu marido Henry, um curioso inventor. Também conhece Jessamine uma caçadora de sombras que não quer saber de nada a não ser se casar para poder sair dali, e o gentil Jem. Ele é um caçador de sombras, que parece estar enfraquecido e esconde segredos que se desvendarão ao longo da leitura.

Há muito mistério envolvido e não é só o maior de todos, por exemplo ninguém consegue entender que tipo de submundo Tessa se encaixa. Submundo é a “sociedade” deles, os vampiros, lobisomens, fadas, feiticeiros, etc.  Entre outras reviravoltas que acontece no mesmo.consideraçÑoes-finais-modelo-2A escrita da Cassandra é ótima, me lembra muito fanfic, aquela coisa te vicia. Talvez seja porque ela escrevia fanfic sobre o mundo de Harry Potter. Admito que demorei um pouco para entrar no ritmo, o começo é um pouco parado, mas o restante é super rápido e envolvente. Amei demais , só não dei 5 estrelas por conta do Will, ele é um dos personagens principais, e ele me irritou demais. Ele tem diversos pontos problemáticos no livro, chegando a ser machista, o que me incomodou.

Não entendo porque as pessoas acham que pra fazer um personagem misterioso, com aquele ar de bad boy tem que ser sempre machista, e grosseiro com todo mundo. Mas me falaram que ele melhora neste quesito e descobrimos mais fatos sobre a história dele, assim espero, de verdade. Tirando este ponto super indico a leitura. 🙂

Onde comprar: buscape, estantevirtual








 

persépolis
sinopse
“Existem muito mais coisas sobre a vagina do que a sua mãe contou (a menos que ela seja ginecologista há mais de 20 anos). ‘Um livro que toda mulher deveria ter. É tão divertido quanto informativo. Nem suas melhores amigas poderiam lhe dar esses conselhos.’ Candace Bushnell, autora de Sex and the City’. “Skoob
o-que-eu-achei

Ah primeira conclusão que tive a ler aos primeiros capítulos do livro foi que os ginecologistas que fui nunca me contaram toda a informação que eu poderia saber. Esse livro tem tanta, mais tanta informação que chega uma hora e você se pergunta “por que eu não sabia disso antes? Como e porque meu gineco nunca tocou no assunto/me disse antes?”.

Há diversos temas e assuntos abordados no livro, tudo que envolva o corpo da mulher e ela própria está neste livro. Entre eles podemos encontrar métodos contraceptivos, menopausa, problemas no ovários, bactérias, DST’s e o aborto. O último citado sei que não é muito bem lido perante a sociedade, mas ele acontece, ou seja, temos sim que falar sobre ele e saber desta realidade, e por outros diversos motivos que já disse neste vídeo aqui.

Captura de Tela 2016-04-12 às 11.49.00
Outro ponto interessante, é que ele não só fala do métodos contraceptivos e do aborto. Mas ele também fala como ajudar a você ter filhos! Como eu disse no começo desta resenha este livro engloba todas as mulheres. Então se você pretende ter um, há uma infinidade de definições as quais as mulheres desconhecem mesmo depois de terem passado por uma gestação, então seria interessante ler sobre, neste livro.

Vaginas também traz para os seus leitores os sintomas, perigos, tratamentos e sorte das mulheres na menopausa. Osteoporose, estrogênio, câncer de mama, exercicios de kegel (para fortalecer os músculos que fecham a uretra), fertilização in vitro, fibroídes, hipertensão induzida, endometriose, câncer no colo do útero, infecções vaginais virais e bacterianas, entre outros muitos assuntos.consideraçÑoes-finais-modelo-2Além de tudo isto tem diversas curiosidades da história da ginecologia, mostrando fatos e pontos importantes. A autora conta eventos interessantes que aconteceu entre elas e seus pacientes. Também temos diálogos ótimos e super engraçados entre mãe e filha, já que o livro foi escrito pela mãe (doutora) e a filha Elizabeth (escritora). Sério, é muito incrível.

E no final do livro há um índice em ordem alfabética que me parece muito útil. Quando houver alguma necessidade de busca específica, o tema descrito estará fácil acesso.

Onde comprar: buscape, estante virtual