Psycho Indica

 

Guerrilla Girls é um grupo formado por mulheres que luta por mais representatividade das mulheres no mundo da arte, e ganhou pela primeira vez exposição em São Paulo.

A mostra “Guerrilla Girls: gráfica, 1985 – 2017” traz mais de cem pôsteres que denunciam a baixa presença de artistas mulheres e negros em acervos de museus, galerias e coleções particulares.
O coletivo feminista Guerrilla Girls vai invadir o Brasil! O grupo, que luta por uma maior representatividade no mundo das artes, ganha uma exposição individual no país pela primeira vez.

Em cartaz até 14 de fevereiro, no Museu de Arte de São Paulo (Masp), a mostra “Guerrilla Girls: gráfica, 1985-2017” traz mais de cem pôsteres que denunciam a baixa presença de mulheres e negros em acervos de museus, galerias e coleções particulares.

As Guerrilla Girls existem desde 1985, em Nova York (EUA), como uma das principais vozes contra o preconceito no cenário artístico. Os cartazes eram produzidos e distribuídos pelos muros da cidade: “As ruas eram a forma de nos comunicarmos com as pessoas. Nosso trabalho tem uma dimensão pública importante”, afirmam integrantes do grupo.

O trabalho é feito inteiramente de modo anônimo – elas não divulgam detalhes ou números do coletivo e aparecem sempre usando máscaras de gorilas.

 

Endereço e Horário

Museu MASP,
de 29/9 a 14/02/2018
De terça (entrada gratuita) a domingo, das 10h às 18h; quinta, das 10h às 20h (última admissão: 30 minutos antes do encerramento)
Estação mais próxima: Trianon-Masp (linha verde)

(fonte: sp-arte)







 


O Instituto Tomie Ohtake recebeu, aqui em São Paulo, a exposição da Yoko Ono, “O Céu Ainda É Azul”.  Tenho que admitir que não sabia o tema, e não esperava nada a mais do que as obras interativas. Mas é extremamente forte e intenso a exposição. Principalmente se você for mulher.

Yoko Ono incitou brasileiras vítimas de violência a enviar relatos junto a uma foto que mostrasse somente seus olhos, para compor a instalação Emergir. A ideia é fazer o público sentir o horror da violência de gênero narrado em primeira pessoa.

A peça é mais uma das muitas ações contundentes que Yoko realizou ao longo de seus 84 anos, que inclui manifestos como “Woman Power”, de 1973, música na qual brada que “uma nação de mulheres está chegando”; ou o controverso texto “The Feminization of Society”, escrito em 1972, em que afirma ser o lesbianismo uma “revolução contemporânea por meio da liberdade sexual”; ou ainda ao participar, mesmo numa cadeira de rodas, da Women’s March, que levou milhares de americanas às ruas em janeiro para protestar contra declarações machistas do presidente Donald Trump. Mas reduzir Yoko ao feminismo é pouco.

No total, são 65 criações que instigam desde ações físicas a experiências mentais que revelam a complexa personalidade de uma revolucionária que desafiou padrões.

Os ingressos custam R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Lembrando que todas as terças-feiras a entrada é gratuita. Crianças até 10 anos, cadeirantes e deficientes físicos têm entrada gratuita todos os dias da exposição.

Serviço

Instituto Tomie Ohtake
Av. Faria Lima 201 – Complexo Aché Cultural
(Entrada pela Rua Coropés 88) – Pinheiros SP –
Estação Faria Lima/Linha 4 – Amarela
Vendas pelo site: clique aqui 

 

Em cartaz de 2 de abril a 28 de maio.

Fonte: Marie Claire







 

IMG_0858

 

Olá, tudo bom? Fazia um certo tempo que não tinha post por aqui, não é mesmo? Caso vocês me acompanham no snap e nas redes sociais do blog já sabiam que tirei umas minis férias, pois meu namorado estava aqui em Londres me visitando então aproveitei esse tempo com ele.

E com isso conheci essa livraria que achei uma graça. Logicamente que não perdi tempo e fotografei a mesma para vocês, pois me lembrei na hora de vocês. Esta livraria tem dois andares um no térreo e um subsolo, são super aconchegantes. E ela fica pertinho de Covent Garden um ponto turístico, mas você pode encontrar a mesma em outros lugares.

IMG_0855IMG_0856IMG_0854IMG_0857
Segunda-feira à sábado: 9:00 da manhã – 8:00 da noite
Domingo: 12 meio dia – 6:00 da tarde

Para mais informações só acessar o site clicando aqui 







 

Meu sebo favorito em Londres fica em Camden Town, que lembra bastante a Galeria do Rock, só que bem maior. Primeiramente vou explicar o que é Camden Town. Bom, é um distrito do centro-norte de Londres, capital de Inglaterra e pertence ao borough de Camden.

Está localizado a 2,4 milhas (3,9 km) a Norte-Noroeste de Charing Cross e é um dos 35 principais centros identificadas no Plano de Londres. Foi planeado como um bairro residencial a partir de 1791 tendo sido antigamente parte do senhorio de Kentish Town e da freguesia de St Pancras, Middlesex.

IMG_5964 (1)

Camden town tornou-se num local importante durante o desenvolvimento inicial dos caminhos de ferro e também por ser servida pela rede de canais de Londres. O seu património industrial deu lugar ao retalho e ao entretenimento, contando hoje em dia com uma série de mercados de renome internacional e locais de música que estão fortemente associados à cultura alternativa.

Eu o descobri quando fui passear por lá um dia com as minhas amigas. E na hora me apaixonei. Fica numa parte nova de lá, bem pertinho da estatua da Amy Winehouse, só que subterrânea, pelo que entendi antigamente funcionava estábulos lá dentro.

PicMonkey Collagelivros

Do lado deste sebo tem uma cafeteria, e sim a cafeteria fica instalada dentro do estabulo, então você vê as grades onde ficavam os cavalos e tudo, o que torna tudo mais nostálgico. Então você pode comprar um livro ou uma revista antiga e sentar logo ao lado para tomar um café e depois passear por camden town. J

endereço-e-horario-modelo-2Camden Town sempre fica aberto para o público, mas suas lojas tem horários. Geralmente fecham as entre as 6 e as 9 horas.

Você pode chegar lá por metro é só pegar a Northern Line. 🙂







 

IMG_2385
Quem é que nunca ouviu falar de Tim Burton? Ou pelo menos dúvido que nunca viu seus filmes como “Edward Mãos de Tesoura” , “O Estranho Mundo de Jack”, “BeetleJuice”, são apenas alguns dos grandes sucessos. E os fãs podem comemorar, pois dês do dia 4/2 o Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo recebeu a exposição “O Mundo de Tim Burton”, que reúne cerca de 500 itens do acervo pessoal do diretor, entre vídeos, cadernos de roteiro, storyboards, bonecos e desenhos, e muito mais. Ou seja, está demais e ta valendo muito a pena!!

Eu fui numa quarta-feira às 5 da tarde, não sei se era por conta do horário e porque estava chovendo, mas não peguei fila como muitas pessoas estavam relatando. Mas já aviso que como é um grande sucesso,  está realmente muito difícil de se conseguir os ingressos através do site, creio que o melhor é comprar na própria bilheteria do museu.

Outra coisa muito importante que vocês precisam saber antes de entrar na exposição é que é proibido tirar fotos lá dentro, por isso a única foto que fiz foi lá fora (essa de cima). Por isso que já deixo avisado que as fotos a seguir eu consegui porque eu aderi através do site da capricho, já que como eles eram impressa eles tiveram permissão para tira-la.

mundo-tim-burton-mis02mundo-tim-burton-mis03mundo-tim-burton-mis01mundo-tim-burton-mis04

Data: 4 de fevereiro a 15 de maio de 2016
Horário de visitação: 11h às 20h (terça a sexta-feira); 9h às 21h (sábados); e 11h às 19h (domingos e feriados)
Endereço: Avenida Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo – SP
Ingressos na bilheteria: Domingos R$12,00 (inteira) e R$6,00 (meia) na bilheteria do MIS. Terça-feira, entrada gratuita com retirada de senha na Bilheteria do MIS. A partir de 11 de março às sextas-feiras também terão venda na bilheteria, valor $12,00 (inteira) e R$6,00 (meia)
Ingressos antecipados: pelo site, clicando aqui.
Classificação etária Livre