anjos-do-sol
Anjos do sol
é um filme brasileiro que trata sobre a exploração sexual comercial de crianças e adolescentes. É o primeiro filme de Rudi “Foguinho” Lagemann. Logo em sua primeira sessão pública, realizada durante o Miami International Film Festival, arrematou o prêmio do júri popular para Melhor Longa de Ficção Ibero-Americano.

No elenco estão, entre outros, Antonio Calloni, Vera Holtz, Chico Diaz, Roberta Santiago, Otávio Augusto, Mary Sheyla, Darlene Glória (no papel da cafetina Vera), Bianca Comparato e a estreante Fernanda Carvalho, a protagonista, que tinha apenas onze anos na época das filmagens. A trilha sonora original conta com composições do gaúcho Flu, Felipe Radicetti e de Nervoso.

Lançamento no Brasil em 18 de agosto de 2006 e nos Estados Unidos (Nova Iorque) em 11 de agosto de 2006.

Anjos do Sol conta a saga da menina chamada Maria, de quase doze anos, que no verão de 2002 é vendida pela família, que vive no interior do Maranhão, a um recrutador de prostitutas, imaginando que a garota estaria indo viver em um local melhor que vivia, pois não sabiam que se tratava exatamente o recrutamento. Depois de ser comprada em um leilão de meninas virgens, Maria é enviada para um prostíbulo localizado numa pequena cidade, vizinha a um garimpo, na floresta amazônica.

Após meses sofrendo abusos, Maria consegue fugir e atravessa o Brasil na carona de caminhões. Ao chegar ao seu novo destino, o Rio de Janeiro, a prostituição se coloca novamente no seu caminho e suas atitudes, frente aos novos desafios, se tornam inesperadas e surpreendentes.

O filme é realmente intenso e chocante, recomendo vocês assistirem em um dia vocês estiverem bem ou mal com o mundo pra acabar com tudo de vez acompanhado de muito chocolate, claramente. Mas vale realmente a pela, por tratar de realidade de várias meninas do Brasil e ser um filme brasileiro realmente bem produzido com performances ótimas.

Abaixo deixei o trailer do filme para vocês verem:

Onde assistir: Youtube 








 

Durante muito tempo eu acreditava fielmente que não me encaixava no Brasil, simplesmente, por ser mais quieta e na minha. Não ir em todos os almoço de família, e nem ser daquelas que curte festa, folia e pular carnaval durante todos os 7 dias. Enfim, todos esses estereótipos que sempre escutamos dentro da nossa própria sociedade do que forma um “real” brasileiro. E  cá entre nós escutamos estes mesmos adjetivos aqui fora também.

Durante muito tempo eu tentei me encaixar as estes estereótipos, a minha adolescência toda até os meus 19 anos mais ou menos, eu usava roupas e meu cabelo de forma que acreditava que era mais aceitável. E até a maneira de me portar e meus pensamentos eram desta forma. Até que um dia eu parei. Comecei a fazer com o meu corpo o que eu sempre quis, fazer com o meu cabelo o que sempre tive vontade, usar as roupas que eu sempre queria. Comecei a ler, pesquisar e me aprofundar em temas que sempre me despertavam dúvida e ninguém conseguia tirá-las para mim. Enfim, comecei a ser eu mesma.

Foi exatamente aí que me senti mais excluída ainda. Fui taxada com vários novos estereótipos. Surgiram pessoas falando que eu não parecia ser do Brasil, como se isso fosse elogio, me chamavam de “gringa” e tinha outras pessoas falando (querendo me botar pra baixo) com comentários do tipo: “por que você fez essa tattoo?” ou ” por que você fez isso com o seu cabelo? Vai cair, hein!” e por ai vai. Nessas horas eu sempre utilizava o grande e maravilhoso “foda-se”. Afinal a gente só tem essa vida e estamos nela para sermos felizes, e não sabemos o dia de amanhã, então vamos aproveita-lo o máximo e fazer o que bem entender das nossas vidas e respeitar o próximo.

Porém, depois que eu vim pra ca (Inglaterra) e essas questões voltaram a minha mente. Parei e pensei “mas o que é ser brasileiro?” ou melhor..” o que é ser latino americano?”. Vejamos, o Brasil é um país raízes indígenas, uma cultura extremamente rica e completamente diferente, nossas frutas e muitas de nossas palavras vem graças a eles, a nossa população asiática no Brasil cresce 173% , o Brasil é o país com mais pretos depois do continente Africano, e foi construído por imigrantes não só da Europa, mas também por nossos países vizinhos como Bolivia, Paraguay e Argentina.

Então, você para vê tudo isso, toda a nossa história e realmente acredita que brasileiro é uma única coisa só? 

f2a40b85dcaefd32ff361371467c6cf6
A gente está e existe em diversas formas, tamanhos, jeitos e escolhas. E temos o nosso diferencial, que a Europa e os Estados Unidos não tem. Estamos misturados. Somos misturados. A gente é latino e existimos de todas as formas aqui e não dentro de uma única caixinha chata. Graças.

Já aqui em Londres é bem raro você ver isso, mesmo a cidade sendo mais pra frente e aberta, não é como no Brasil ou qualquer país da America Latina que temos essas misturas de raças e que deixa tudo mais lindo. Vou dar um exemplo simples, aqui eles tem uma “chinatown”, e é apenas uma única rua. Enquanto em São Paulo (minha cidade) tem dois bairros asiáticos, Liberdade e Bom Retiro.

Aqui não existe essa de “to aqui perto da sua casa, posso passar ai?”, ou almoço de domingo com a família, ou de dormir na casa do seu amigo quando ta tarde. Ou até mesmo de falar tudo que você acha na cara do seu amigo quando você está bravo. A bela sinceridade.

Eu nunca entendia quando meus amigos que moravam fora, e quando iam me visitar no Brasil, falavam pra mim as amizades daqui parecem ser mais verdadeiras” ou ” brasileiro parece realmente saber viver“. E vou contar mais. Uma pequena história. No meu primeiro dia em que cheguei aqui no avião conheci uma mulher que sentou ao meu lado e ela era inglesa, mas morava na Argentina já fazia uns 4 anos. E quando eu perguntei o porque disso ela simplesmente falou que os ingleses não sabiam viver. Completou dizendo que na  Argentina e as pessoas da America Latina (porque ela já tinha viajado praticamente a America Latina toda) sabiam viver cada dia de cada vez, o presente, e tinham o famoso “calor”, que nada mais é do que empatia.

E não era a primeira pessoa a falar isso para mim, sabia? Minha avó, no caso a minha abuela, já que ela veio da Espanha junto com o meu abuelo, sempre dizia que nunca mais iria voltar para lá, só para visitar. Porque realmente gostava das pessoas do Brasil. E na Espanha as pessoas não são tão próximas como são aqui, e não se ajudam, etc. Porém, eu sou cabeça dura (taurina), ou simplesmente prefiro vivenciar e ter as minhas próprias experiências para chegar as minhas próprias conclusões. E depois de quase 6 meses aqui..não é que todas essas pessoas, e todos os vídeos e textos que vemos das pessoas falando da America Latina estavam certos?

Não adianta você ter a melhor educação e ser a pessoa mais simpática do mundo se você não tem empatia. Isso nasce com você. A gente, da america latina, sofreu muito e ainda sofre. E não sei se é por conta disso ou exatamente o porque, mas não tem pessoas como nós. Você pode até procurar, mas somos únicos. 








 

harry_potter_and_the_cursed_child_special_rehearsal_edition_book_cover

“Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia, marido e pai de três crianças em idade escolar. Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados.”Skoob

 

Eu sei, eu sei, não terminei de ler o livro que comentei que estava lendo aqui com vocês no mês outubro. Mas precisava urgentemente começar logo este livro, até porque ele é escrito em forma de script então a leitura é mais rápida. E ele também é em inglês. Ainda estou no terceiro ato, bem no comezinho, mas por enquanto posso dizer que estou amando. Sei, por causa de alguns fãs que esse não é um dos melhores livros, mas lembra-se não é da JK. 








 

Olá, tudo bem com vocês? No vídeo de hoje eu trago um tema que vocês escolheram no meu snap para eu abordar num vídeo com vocês, sobre relacionamento abusivo. Um tema bastante profundo que precisa ser mais debatido, infelizmente não da pra falar tudo em um único vídeo, na verdade precisaria no mínimo uma hora de debate e conversa com vocês. haha. Mas tentei ser o mais breve possível.

Espero que gostem do vídeo. 😀

O Machismo também mora nos detalhes

Seria o mundo dividido entre Mr.Bigs e Aidans?

80% dos casos de violência sexual são dentro da família

Estudo mostra que casos de abuso infantil ocorrem mais dentro de casa 








 

Em agosto meu namorado veio me visitar, e como era a primeira vez dele aqui pela Europa decidimos fazer umas pequenas viagens pelos lugares que ele mais queria conhecer. Decidimos então começar pela Escócia, e tenho que dizer que me surpreendeu. 

Eu já estava querendo conhecer o lugar principalmente depois de uma das minhas professoras favoritas daqui ser de lá. Ela sempre foi super gentil comigo e era uma das poucas pessoas daqui com cabeça mais aberta para os problemas do mundo de forma geral, e também já visitou SP. Então isso me deixou super curiosa para conhecer sua cidade natal e outros moradores locais. 🙂

Edimburgo, a capital, é uma cidade maravilhosa, foi construída em cima de montanhas, por isso já deixo avisado que você vai se cansar um pouco de subir e descer. A cidade é cheia de ruas estreitas, e tem vários mitos de assombrações e assassinatos (desses fatos eu não quis saber). Sem falar da arquitetura da cidade que tem um contraste super lindo dos castelos e das construções mais padronizados das casas. Ou seja, o antigo e o novo.

img_8783
Se você tiver pela Europa ou pelo Reino Unido e pretendem visitar essa cidade eu recomendo ir de trem. A estação é no centro,  então provavelmente ficará mais perto do seu hotel ( assim você não terá que pegar taxi, ou transporte público) e sem deixar de contar que a vista é maravilhosa. Recomendo o site Train Line para encontrar sua passagem, ele tem app para celular também.

  • The Elephant House é um café aonde a J.K. Rowling escreveu os livros de Harry Potter (sim, ela escreveu na Escócia e mora lá e não na Inglaterra como muitos pensam), o banheiro é todo rabiscado com mensagens de potterheads e tem fotos dela, assinaturas e matérias. Mas vale muito a pena sentar e pedir um chocolate quente ou algo para comer, é muito gostoso. E super aconchegante.
  • Potterow Port não tem nada demais, é uma ponte onde foi filmada a cena do quinto filme dos dementadores atacando o Duda. Vale a pena para quem é fã de HP, como eu.
  • Princes Street Gardens é um parque público e literalmente no meio da cidade. Durante séculos, a área foi conhecida como Nor’ Loch, mas após um longo processo de drenagem, os jardins foram criados, em meados da década de 1820

ahah

  • Scott Monument é um monumento de estilo gótico vitoriano do autor escocês Sir Walter Scott. É o maior monumento para um escritor do mundo.  Ela está em Princes Street Gardens em Edimburgo,  perto da Estação Ferroviária de Edimburgo.
  • Scottish National Gallery  é uma galeria de arte nacional da Escócia. Possui a maior colecção de arte da Escócia.
  • Endiburgh Castle é uma antiga fortaleza que domina a silhueta da cidade, a partir da sua posição no topo do Castle Rock (Rochedo do Castelo). Trata-se de um dos mais importantes castelos do país, sendo a segunda atração turística mais visitada na Escócia, ao receber anualmente cerca de um milhão de pessoas.

picmonkey-collage

  • Dugald Stewart Monument é um memorial ao filósofo escocês Dugald Stewart (1753-1828). Situa-se em Calton Hill e tem uma vista incrível para o centro da cidade de Edimburgo e foi concluída em agosto 1831. De lá você também pode visitar The Nelson Monument.
  • Arthur’s Seat  (O Assento de Artur) é o maior pico do grupo de colinas que dominam a paisagem da cidade. A elevação de origem vulcânica de 251 metros é um dos símbolos da cidade.
  • Scottish National Portrait Gallery é um museu de graça, e tem uma arquitetura extremamente maravilhosa.
  • The Writers’ Museum os visitantes podem ver retratos, livros raros e objetos pessoais, incluindo mesa de Burns. A imprensa em que Novelas Waverley de Scott foram produzidos em primeiro lugar, e a própria mesa de jantar de Scott e cavalo de balanço. Tem a botas de montaria de Robert Louis Stevenson e o anel que lhe foi dado por um chefe samoano, gravada com o nome “Tusitala”, que significa “contador de contos”. Há também um molde de gesso de crânio Robert Burns, um dos três únicos já feitos.

picmonkey-collage2

 

Ruas para se visitar: The Royal Mile é a rua principal da cidade, tudo acontece ali. Grassmarket é uma rua super charmosinha que tem diversos restaurantes, então é ótimo para se comer ali.

Se você pensa em ficar por mais tempo no país vale muito a pena pegar um carro ou uma excursão e visitar Glen Coe, Lago Ness (sim, é aonde tem a famosa “monstra”) e Highlands, sério é uma experiência maravilhosa. Escócia é extremamente linda e apaixonante. Abaixo deixo os vídeos dessa viagem maravilhosa. coracao-1_xl

Parte 01 

Parte 02