Olá, tudo bem com vocês? Aproveitei que fiz essa maquiagem como teste e resolvi gravar para vocês. Eu não tinha orelhinhas de gato então usei meu próprio cabelo! Tem pessoas que acharam que essa make parecida com ratinho, então cabe a você haha. O que importa é se divertir.

Ah, eu só coloquei halloween porque eu fiz essa maquiagem para essa ocasião, mas pode ser usada facilmente para o carnaval também, aliás não botei tanto brilho atoa.


Lista dos produtos usados:

Palheta de sombras 1 : Urban Decay – Naked 2
Palheta de Sombras 2 : Urban Decay – Basics
Glitters: Primark
Delineador: L’oréal
Lapís preto: Chanel
Lápis Branco: sem marca
Iluminador da M.A.C: Soft and Gentle







 

maxresdefault
The Boxtrolls é um filme de animação americano de 2014, dirigido por Graham Annable e Anthony Stacchi é baseada no livro infantil “Here Be Monsters”, de Alan Snow.

Conta a história de Pontequeijo, uma cidade amaldiçoada por seres misteriosos que roubam queijos e crianças durante a noite. Um garoto órfão chamado Ovo que foi criado por criaturas do submundo chamadas Boxtrolls ressurge dos esgotos e sai da sua caixa para salvar sua família e a cidade inteira de um terrível exterminador, Arquibaldo Surrupião. Durante a aventura ele conhece Winnie, uma garota que faz com que perceba que ele é, na verdade, um humano.

the-boxtrolls
O que eu mais gostei desse filme foi saber que ele foi feito através de stop motions , sério são belíssimos e delicados. E a mensagem que o filme passa tanto para as crianças como para os adultos é muito boa. Nunca julgar o desconhecido. Conheça antes de falar. 

Recomendo para todos, aposto que você vai se prender, mesmo se você não for uma criança.


Onde assistir: NetFlix







 

Recentemente estava comentando com meus amigos daqui que nunca em outro momento da minha vida escutei tanta música brasileira como tenho escutado agora, talvez, só talvez seja porque esteja com saudades de casa. Mas foi bom eu ter feito isso, principalmente por eu achar que não existia músicas brasileiras no estilo que eu curto. Que geralmente são músicas mais indie, mais calminhas e para relaxar.

Música brasileira e seus cantores tem tanta qualidade e profissionalismo como os cantores de fora, basta nós darmos uma chances para eles e para nós. As nossas raízes. Afinal Brasil não é uma coisa só (graças a deusa). coracao-1_xl Abaixo deixo a vocês cinco das bandas que ando escutando direito aqui. 😀

Anavitória

A dupla vem de Araguaína de Tocantins, Ana Caetano é da esquerda e a da direita é a Vitória Falcão as duas são amigas desde crianças e resolveram montar sua banda. E deu muito certo.

Tiago Iorc

Tiago nasceu em Brasília, DF, mas foi radicado em Curitiba. Tenho que admitir que não ligava muito para ele até descobrir esse clipe, meu deus. Ver todos os lugares em que passei, reconhecer eles, e ficar com coração apertado e pensar “que saudades de são paulo”.  Em setembro de 2016, o algum recebeu duas indicações ao Grammy Latino, nas categorias Melhor Álbum Pop Brasileiro Contemporâneo e Canção Brasileira por “Amei Te Ver”.

Mallu Magalhães

Maria Luiza de Arruda Botelho Pereira de Magalhães (São Paulo, 29 de agosto de 1992), mais conhecida pelo seu nome artístico Mallu Magalhães. Seu mais recente trabalho recebeu elogios do jornal The New York Times, segundo o jornal, Mallu mostra uma “sensibilidade própria” e é “cativante”.

Tribalistas

Uma banda que fez a minha infância foi Tribalistas. Foi um trio musical/supergrupo brasileiro de MPB composto por Arnaldo Antunes (São Paulo)Carlinhos Brown (Salvador) e Marisa Monte (Rio de Janeiro). Tal reunião resultou em um único álbum (por que vocês não fizeram mais???? Por que?) lançado no Brasil em 2002 pela gravadora Phonomotor Records com distribuição nacional e internacional da EMI e no exterior lançando em 2003. O álbum vendeu mais de 1,5 milhão cópias somente no Brasil. No total, o album vendeu mais de 2,1 milhões de cópias. Recebeu cinco indicações para o Grammy Latino em 2003, ganhando um. Algumas faixas do CD/DVD foram remasterizadas e fizeram muito sucesso na Europa.

Karol Conka

Karoline dos Santos de Oliveira (Curitiba, 1 de janeiro de 1987), mais conhecida como Karol Conka, é uma rapper, cantora e compositorabrasileira. Considerada uma das principais representantes do Rap feminino dos últimos tempos no país, sendo indicada a “Aposta” no VMB2011. Recebeu uma indicação na revista Rolling Stone, dos Estados Unidos, que a colocou entre os “Dez novos artistas que você precisa conhecer”. E já fez duas vezes turnês internacionais.

Obviamente que tem muitos outros cantores que adoro e de outros estilos, se vocês gostarem desse estilo de playlist por favor comentem abaixo que posso fazer outro no mesmo estilo apresentando mais cantores brasileiros para vocês. 😀







 

anjos-do-sol
Anjos do sol
é um filme brasileiro que trata sobre a exploração sexual comercial de crianças e adolescentes. É o primeiro filme de Rudi “Foguinho” Lagemann. Logo em sua primeira sessão pública, realizada durante o Miami International Film Festival, arrematou o prêmio do júri popular para Melhor Longa de Ficção Ibero-Americano.

No elenco estão, entre outros, Antonio Calloni, Vera Holtz, Chico Diaz, Roberta Santiago, Otávio Augusto, Mary Sheyla, Darlene Glória (no papel da cafetina Vera), Bianca Comparato e a estreante Fernanda Carvalho, a protagonista, que tinha apenas onze anos na época das filmagens. A trilha sonora original conta com composições do gaúcho Flu, Felipe Radicetti e de Nervoso.

Lançamento no Brasil em 18 de agosto de 2006 e nos Estados Unidos (Nova Iorque) em 11 de agosto de 2006.

Anjos do Sol conta a saga da menina chamada Maria, de quase doze anos, que no verão de 2002 é vendida pela família, que vive no interior do Maranhão, a um recrutador de prostitutas, imaginando que a garota estaria indo viver em um local melhor que vivia, pois não sabiam que se tratava exatamente o recrutamento. Depois de ser comprada em um leilão de meninas virgens, Maria é enviada para um prostíbulo localizado numa pequena cidade, vizinha a um garimpo, na floresta amazônica.

Após meses sofrendo abusos, Maria consegue fugir e atravessa o Brasil na carona de caminhões. Ao chegar ao seu novo destino, o Rio de Janeiro, a prostituição se coloca novamente no seu caminho e suas atitudes, frente aos novos desafios, se tornam inesperadas e surpreendentes.

O filme é realmente intenso e chocante, recomendo vocês assistirem em um dia vocês estiverem bem ou mal com o mundo pra acabar com tudo de vez acompanhado de muito chocolate, claramente. Mas vale realmente a pela, por tratar de realidade de várias meninas do Brasil e ser um filme brasileiro realmente bem produzido com performances ótimas.

Abaixo deixei o trailer do filme para vocês verem:

Onde assistir: Youtube 







 

Durante muito tempo eu acreditava fielmente que não me encaixava no Brasil, simplesmente, por ser mais quieta e na minha. Não ir em todos os almoço de família, e nem ser daquelas que curte festa, folia e pular carnaval durante todos os 7 dias. Enfim, todos esses estereótipos que sempre escutamos dentro da nossa própria sociedade do que forma um “real” brasileiro. E  cá entre nós escutamos estes mesmos adjetivos aqui fora também.

Durante muito tempo eu tentei me encaixar as estes estereótipos, a minha adolescência toda até os meus 19 anos mais ou menos, eu usava roupas e meu cabelo de forma que acreditava que era mais aceitável. E até a maneira de me portar e meus pensamentos eram desta forma. Até que um dia eu parei. Comecei a fazer com o meu corpo o que eu sempre quis, fazer com o meu cabelo o que sempre tive vontade, usar as roupas que eu sempre queria. Comecei a ler, pesquisar e me aprofundar em temas que sempre me despertavam dúvida e ninguém conseguia tirá-las para mim. Enfim, comecei a ser eu mesma.

Foi exatamente aí que me senti mais excluída ainda. Fui taxada com vários novos estereótipos. Surgiram pessoas falando que eu não parecia ser do Brasil, como se isso fosse elogio, me chamavam de “gringa” e tinha outras pessoas falando (querendo me botar pra baixo) com comentários do tipo: “por que você fez essa tattoo?” ou ” por que você fez isso com o seu cabelo? Vai cair, hein!” e por ai vai. Nessas horas eu sempre utilizava o grande e maravilhoso “foda-se”. Afinal a gente só tem essa vida e estamos nela para sermos felizes, e não sabemos o dia de amanhã, então vamos aproveita-lo o máximo e fazer o que bem entender das nossas vidas e respeitar o próximo.

Porém, depois que eu vim pra ca (Inglaterra) e essas questões voltaram a minha mente. Parei e pensei “mas o que é ser brasileiro?” ou melhor..” o que é ser latino americano?”. Vejamos, o Brasil é um país raízes indígenas, uma cultura extremamente rica e completamente diferente, nossas frutas e muitas de nossas palavras vem graças a eles, a nossa população asiática no Brasil cresce 173% , o Brasil é o país com mais pretos depois do continente Africano, e foi construído por imigrantes não só da Europa, mas também por nossos países vizinhos como Bolivia, Paraguay e Argentina.

Então, você para vê tudo isso, toda a nossa história e realmente acredita que brasileiro é uma única coisa só? 

f2a40b85dcaefd32ff361371467c6cf6
A gente está e existe em diversas formas, tamanhos, jeitos e escolhas. E temos o nosso diferencial, que a Europa e os Estados Unidos não tem. Estamos misturados. Somos misturados. A gente é latino e existimos de todas as formas aqui e não dentro de uma única caixinha chata. Graças.

Já aqui em Londres é bem raro você ver isso, mesmo a cidade sendo mais pra frente e aberta, não é como no Brasil ou qualquer país da America Latina que temos essas misturas de raças e que deixa tudo mais lindo. Vou dar um exemplo simples, aqui eles tem uma “chinatown”, e é apenas uma única rua. Enquanto em São Paulo (minha cidade) tem dois bairros asiáticos, Liberdade e Bom Retiro.

Aqui não existe essa de “to aqui perto da sua casa, posso passar ai?”, ou almoço de domingo com a família, ou de dormir na casa do seu amigo quando ta tarde. Ou até mesmo de falar tudo que você acha na cara do seu amigo quando você está bravo. A bela sinceridade.

Eu nunca entendia quando meus amigos que moravam fora, e quando iam me visitar no Brasil, falavam pra mim as amizades daqui parecem ser mais verdadeiras” ou ” brasileiro parece realmente saber viver“. E vou contar mais. Uma pequena história. No meu primeiro dia em que cheguei aqui no avião conheci uma mulher que sentou ao meu lado e ela era inglesa, mas morava na Argentina já fazia uns 4 anos. E quando eu perguntei o porque disso ela simplesmente falou que os ingleses não sabiam viver. Completou dizendo que na  Argentina e as pessoas da America Latina (porque ela já tinha viajado praticamente a America Latina toda) sabiam viver cada dia de cada vez, o presente, e tinham o famoso “calor”, que nada mais é do que empatia.

E não era a primeira pessoa a falar isso para mim, sabia? Minha avó, no caso a minha abuela, já que ela veio da Espanha junto com o meu abuelo, sempre dizia que nunca mais iria voltar para lá, só para visitar. Porque realmente gostava das pessoas do Brasil. E na Espanha as pessoas não são tão próximas como são aqui, e não se ajudam, etc. Porém, eu sou cabeça dura (taurina), ou simplesmente prefiro vivenciar e ter as minhas próprias experiências para chegar as minhas próprias conclusões. E depois de quase 6 meses aqui..não é que todas essas pessoas, e todos os vídeos e textos que vemos das pessoas falando da America Latina estavam certos?

Não adianta você ter a melhor educação e ser a pessoa mais simpática do mundo se você não tem empatia. Isso nasce com você. A gente, da america latina, sofreu muito e ainda sofre. E não sei se é por conta disso ou exatamente o porque, mas não tem pessoas como nós. Você pode até procurar, mas somos únicos.