Filmes

 

Voltando com o especial “Diretores que amamos: Quentin Tarantino” \o/. Já viram que eu sou meio enrolada com esses especiais né? Estou tentando melhorar, eu jurooo!! Mas então, vocês podem ler a resenha do primeiro filme, Cães de Aluguel, aqui.

Hoje vamos falar sobre Pulp fucking Fiction!

pulp-fiction

Pulp Fiction foi lançado em 1994 com orçamento de 8 milhões de dólares (menos do que o cachê de Bruce Willis em Duro de Matar 3) e conseguiu atrair nomes como Willis, John Travolta, Samuel L. Jackson e Uma Thurman graças ao roteiro. Na época Jackson disse que foi o melhor roteiro que ele já tinha lido.

Cada cena/capítulo é tratada como uma história em si, mas que se conectam fora de ordem. Assim como Cães de Aluguel, Pulp começa num café, com um jovem casal (Tim Roth e Amanda Plummer) conversando antes de decidir roubar o lugar. A próxima sequência traz dois matadores, Vincent e Jules (John Travolta e Samuel L. Jackson), que estão vestidos como os bandidos de Cães: terno preto, camisa branca e gravata.

Jules é um cara normal que por acaso ganha a vida matando gente. Vincent é um junkie nas horas vagas e acaba de voltar de Amsterdam.

Em outra sequência Vincent leva Mia (Uma Thurman), a esposa do chefão Marsellus (Ving Rhames), para sair a pedido dele. Esse encontro gera o maior capítulo do filme. Nele Steve Buscemi foi ironicamente transformado de Sr. Pink, que não dava gorjeta em Cães de Aluguel, a um garçom Buddy Holly deprimido.

Sábado a tarde

Pulp retrata vários níveis de crime. Quando os personagens de Tarantino sacam armas, como fazem com frequência, nunca se sabe se eles explodirão a cabeça um do outro, se vão fazer um discurso (frequentemente fazem ambos), vão virar a mesa ou farão uma retirada honrada e pacífica. Tarantino faz filmes que retrabalham trechos de seus filmes favoritos em que todos seus atores preferidos atuam.

Ele segue um certo padrão no clímax das cenas violentas, um padrão que começou com o Sr. Blondie em Cães. Em Pulp esse padrão acontece em dois momentos, no primeiro quando Jules enrola para matar seu alvo, que se contorce sentado, ponderando qual tipo de hambúrguer é o melhor. E no segundo quando Buth (Bruce Willis) e Marsellus se encontram amarrados e amordaçados, sendo encharcados com gasolina por uma dupla bizarra.

Para Tarantino, Pulp tem um espírito abertamente cômico do começo ao fim. E de acordo com ele, inconscientemente seus filmes seguem o velho Código Hays: você pode fazer o que quiser nos primeiros oitenta e oito minutos, desde que nos últimos dois haja algum pagamento pelo que os personagens fizeram. Ou seja, os finais de Cães e Pulp são moralistas.

Jules começa o filme apenas fazendo seu trabalho (matando) e termina refletindo sobre versos do livro de Ezequiel enquanto tenta descobrir onde ele fica no esquema moral das coisas.








 

pronto-hannibal8

quentin-tarantino-quentin-tarantino-17086804-1600-1200

Ano passado (sim olha a minha cara de pau) eu comecei a série “Diretores que amamos” (clique aqui), mas só fiz o post de estreia e fiquei adiando a análise dos filmes. O primeiro diretor escolhido foi o Tarantino, que eu amo loucamente. No entanto, resolvi criar vergonha na cara e ressuscitar a série. Espero que gostem 🙂

Quentin Tarantino foi aclamado nos anos 90 como o novo messias descolado do cinema, e tudo começou com Cães de Aluguel coproduzido por Harvey Keitel, em 1992 no Sundance Film Festival.

Caes-de-Aluguel

Cães de Aluguel é uma grande brincadeira sangrenta de Tarantino ao estilo gangsteres, influenciada por Caminhos Perigosos e Os Bons Companheiros de Scorsese, e pelo Grande Golpe de Kubrick, que tem a violência como grande obra-prima e motivo de êxtase.

Já na cena de abertura o filme mostra a que veio, Tarantino interpretando Mr. Brown narra uma análise semiótica de Like a Virgin da Madonna, inaugurando uma série de diálogos inspirados e irônicos que vão da liberdade sexual feminina a ética em dar gorjetas para uma garçonete.

“Jesus, essas mulheres não estão passando fome, elas ganham salário mínimo”, se opõe o Mr. Pink (Steve Buscemi) quando seus colegas tentam fazê-lo sentir-se envergonhado e deixar dinheiro na mesa como todo mundo. Ao ritmo chiclete de Super Sounds of the Seventies, de K-Billy Radio, o grupo vai para a rua. Vestido idênticos com ternos pretos esguios, gravatas estreitas e camisas brancas.

Reservoir-Dogs-reservoir-dogs-13232377-1920-1080

O filme se estrutura em flashbacks que misturam o pandemônio após um assalto frustrado, com a apresentação dos personagens e detalhes dos estágios de planejamento. O chefão do crime Laurence Tierney e seu filho, Chris Penn, recrutam seis profissionais que recebem nomes falsos identificados por cores, para que nenhum deles reconheça o outro, dentre eles há um policial disfarçado que causa todo o tumulto na hora do assalto, inclusive alguns assassinatos.

Os que sobraram se reúnem no ponto de encontro, um armazém abandonado. Mr. White (Harvey Keitel) leva seu companheiro ferido e policial disfarçado Mr. Orange (Tim Roth) para o armazém, onde Mr. Pink (Steve Buscemi) logo se junta a eles, obcecado em permanecer profissional e descobrir quem foi o traidor. Depois chega o psicótico Mr. Blonde (Michael Madsen) com um policial refém.

Reservoir_Dogs_23581_Medium

A partir daí os diálogos giram em torno da honra e do profissionalismo entre bandidos. Em um certo momento Mr. White e Mr. Pink deixam Mr. Blonde sozinho com o policial refém e com o ferido Mr. Orange, então começa a tão aclamada cena que fez com que vários espectadores saíssem da sala de cinema no Sundance Film Festival.

Mr. Blonde, ao som de Stuck in the Middle With You, dança e canta enquanto tortura e mutila com uma gilete o refém. A cena foi gravada em dez minutos, cada minuto de agonia para o policial é um minuto para o espectador. Não sei se a percepção de violência mudou dos anos 90 para cá com a geração Jogos Mortais, mas essa cena me frustrou, o tão aguardado momento de horror com a tortura não arrancou uma virada de olhos minha, a única sensação de horror foi o tédio. O único momento em que a cena finalmente atinge o seu potencial é quando Mr. Blonde olha para a sua vítima aterrorizada e mutilada e diz “Foi tão bom para você quanto foi para mim?”.

reservoir-dogs

A violência de Cães de Aluguel não é gratuita, tudo no filme tem um propósito, Tarantino zomba e provoca seu público o tempo todo, que experimenta o êxtase através do sangue e do sarcasmo, e a agonia enquanto Mr. Orange sangra até a morte.

Cães de Aluguel funde masculinidade, violência e submundo. A versão de masculinidade de Tarantino é profundamente regressiva, especialmente baseada na cultura de massa dos anos 70 de sua própria infância. O que torna o filme tão dos anos 90 é que ele gira em torno do que foi reprimido na versão da masculinidade dos anos 70, um medo paranoico e homofóbico do outro que explode em discursos de ódio, em chutes e explosões, em balas e lâminas. É um filme extremamente insular, as mulheres não tem mais de 30 segundos na tela, há zero personagens negros, mas ainda sim, nenhum minuto se passa sem uma referência (racista) aos negros, a estupro na cadeia (sêmen negro em bunda branca), a ameaças de castração das mulheres “fálicas” como Madonna ou o ícone dos anos 70 Pam Grier.

Os personagens são racistas, machistas e homofóbicos, mas não com o propósito de incentivar ou enaltecer esses absurdos (na minha humilde opinião), os outros filmes do Tarantino tem personagens femininos fortes e maravilhosos.

A informação se acumula fora da ordem cronológica, e a preparação e os desdobramentos do assalto vão sendo revelados em flashbacks através dos pontos de vista dos participantes. Curtindo a ironia dramática, Tarantino revela a identidade do policial infiltrado na metade do filme, colocando a plateia em seu ponto de vista e no desespero da sua posição. Em seu mundo, o conhecimento não o leva a lugar algum, quando o gelado Mr. Blonde (Michael Madsen) chega com um jovem policial que ele sequestrou durante a fuga, a violência se agrava. No blecaute final, o armazém está carregado de corpos. É uma comédia de humor controverso, que tanto se vangloria quanto ridiculariza seu gênero e seus personagens.








 

large-3

TW: A maioria dos filmes tem fortes cenas de estupro, sexo, morte, etc. Deixando avisado que não é recomendado para menores, e para quem não tem estômago forte.

No post de hoje separei cinco filmes realistas já que alguns são até baseados em fatos reais. Eu escolhi eles me baseando em um simples fato: foram filmes que me chocaram, me deixaram com raiva, e inquieta durante algumas horas e dias. E acho que filmes bons devem geram essa reação nas pessoas.

Outro ponto, a maioria deste filmes tem mulheres como personagens principais e eles são ótimos para a compreensão do porque o feminismo é tão importante para nós, e para o mundo se tornar algo mais saudável. Enfim, vamos a lista?

 

  •  Ninfomaníaca 

nymphomaniac-145709_Lsinopse “Bastante machucada e largada em um beco, Joe (Charlotte Gainsbourg) é encontrada por um homem mais velho, Seligman (Stellan Skarsgard), que lhe oferece ajuda. Ele a leva para sua casa, onde possa descansar e se recuperar. Ao despertar, Joe começa a contar detalhes de sua vida para Seligman. Assumindo ser uma ninfomaníaca e que não é, de forma alguma, uma pessoa boa, ela narra algumas das aventuras sexuais que vivenciou para justificar o porquê de sua auto avaliação.” Adoro Cinema

O filme não é só sobre sexo, apesar de retratar uma mulher ninfomaníaca, e obviamente ter a parte mais desejada pelos telespectadores no filme. Mas o mais importante pelo menos para mim, são os preconceitos que uma mulher sofre por pensar, fazer e falar de sexo. E que são julgadas a todos os instante. O que mais choca, principalmente é o final do volume 2. Por isso vocês precisam assistir o volume 1 e o 2, para entender o que estou falando.


Onde Assistir: FilmesOnlineGrátis, MegaFilmesHD

 

  •  Meninos não choram

19905773-1

sinopse

“Saiba como Teena Brandon se tornou Brandon Teena e passou a reivindicar uma nova identidade, masculina, numa cidade rural de Falls City, Nebraska. Brandon inicialmente consegue criar uma imagem masculinizada de si mesma, se apaixonando pela garota com quem sai, Lana, e se tornando amigo de John e Tom. Entretanto, quando a identidade sexual de Brandon vem público, a revelação ativa uma espiral crescente de violência na cidade.” – Adoro Cinema

Baseado numa história real de Teena Brandon uma garota transgênero, que foi assassinada em 1993. Quando eu fui assistir este filme não tinha lido nenhuma sinopse, então imaginem como fiquei com o final dele. Acabada. Minha única critica ao filme é que não mostraram que foi por culpa da policia, que não quis registrar e prender os culpados pelo o estupro de Brandon que ela foi assassinada. E eu descobri isto quando fui pesquisar no próprio google mesmo. Além do filme existe um documentário sobre a vida dele, que quero muito assistir.


Onde Assistir: NetFlix, MegaFilmesHD, FilmesOnlineGratís

 

  •  A Informante

a-informantesinopse “Kathy (Rachel Weisz) e uma policial norte-americana que aceitou o trabalho de defensora da paz no período pós-guerra da Bósnia. Com o objetivo de ajudar a reconstruir o país, Kathy fica devastada ao descobrir a perigosa realidade de corrupção, encobrimento de fatos, conspiração de empresas privadas e multinacionais com diplomacias de duplo sentido.”Adoro Cinema

Outro filme baseado em fatos reais.  Mostrando o tráfico e a escravização de jovens mulheres na Bósnia, nos anos 1990, patrocinado e acobertado por membros das forças de paz da ONU. Sim, caros amigos, a ONU fez isso, e não duvido muito que ela deve ainda ter muitos podres escondidos. Enfim, vi este filme quando tinha uns 15 anos, e nunca mais esqueci, e preciso reassistir.

Onde Assistir: NetFlix, FilmesOnlineGrátis, MegaFilmesHD

 

 

  •  Terra Fria 

terrafria

sinopse

“Após um casamento fracassado, Josey Aimes (Charlize Theron) retorna à sua cidade natal, no Minnesota, em busca de emprego. Mãe solteira e com dois filhos para sustentar, ela é contratada pela principal fonte de empregos da região: as minas de ferro, que sustentam a cidade há gerações. O trabalho é duro mas o salário é bom, o que compensa o esforço. Aos poucos as amizades conquistadas no trabalho passam a fazer parte do dia-a-dia de Josey, aproximando famílias e vizinhos. Incentivada por Glory (Frances McDormand), uma das poucas mulheres da cidade que trabalha nas minas, Josey passa a trabalhar no grupo daqueles que penam para arrancar o minério das pedreiras. Ela está preparada para o trabalho duro e, às vezes, perigoso, mas o que não esperava era sofrer com o assédio dos seus colegas de trabalho. Como ao reclamar do tratamento recebido é ignorada, ela decide levar à justiça o caso.”Adoro Cinema

Outro caso real, Josey  não teve um casamento fracassado como a sinopse do adoro cinema está dizendo, na verdade o maridão a espancava, por isso ela o largou. E quando ela se mudou para essa nova cidade, ela não só sofreu assédio verbal, como foi violentada. Aimes decide entrar com uma ação judicial contra a empresa, sendo propositora da primeira ação coletiva por assédio sexual dos Estados Unidos, dando início a uma marco de lutas feministas no país e no mundo. Mais um filme que preciso reassistir.

Onde Assistir: MegaFilmesHD

 

  •  Revolução em Dagenham

Unknownsinopse

“1968, Dagenham, Inglaterra. Entre os milhares de funcionários da Ford estão 187 mulheres que recebem pouco e trabalham em condições precárias. Revoltadas e sob a liderança de Rita O’Grady (Sally Hawkins), elas iniciam uma greve que abala o país e muda o mundo.” Adoro Cinema

 Acho que esse é um dos únicos filmes desta lista que não tem morte, e é o mais divertido também. Ele aborda a luta por direitos iguais, e principalmente o salário que até hoje buscamos isto. E aliás, é baseado em fatos reais também.

Onde Assistir: Infelizmente não achei, se alguém achar por favor compartilhe aqui nos comentários.

E ai curtiram a seleção dos filmes? Eu amei fazer este post, pois sou fã dos filmes que retratam este assunto. Não se esqueçam de deixar a sua opinião abaixo, é muito importante pra gente.coracao-1_xl

 








 

large-12
Contém spoilers para quem ainda não leu/ viu os livros/filmes de Harry Potter!

Os Marotos, são um grupo de estudantes da série Harry Potter. Eles eram quatro amigos que freqüentaram Hogwarts em uma geração anterior à do próprio Harry. Todos, no entanto, exercendo um forte papel na história do protagonista. Eles consistiam em: James Potter (pai de Harry), que levava o apelido de “Pontas”; Sirius Black (Padrinho de Harry), apelidado “Almofadinhas”; Remo Lupin, chamado de “Aluado”; e Peter Pettigrew, frequentemente chamado de “Rabicho”.

Esse grupo de amigos surgiu entre o primeiro e o segundo ano na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, por volta de 1971. Em torno do quarto ano, James, Sirius e Peter se tornaram secretamente Animagos não-registrados para que pudessem acompanhar Remo, um lobisomem, em suas transformações. (É conhecido que licantropos não oferecem riscos a animais). A forma animaga de James era um veado, a de Peter era um rato, e a de Sirius um enorme cão negro. Os apelidos dos rapazes se deviam às suas formas animagas, e o de Remo, à licantropia. Os Marotos pertenciam todos ao mesmo ano da casa da Grifinória, e mantinham uma rivalidade contra os sonserinos, em especial, à Severo Snape, alvo de muitas de suas brincadeiras e azarações. Este último amigo próximo de Lily Evans (mãe de Harry), que chamava atenção pela sua beleza e não foi despercebida por Jame Potter. Muitos dos fãs acreditam que esse é o real motivo que James tinha tanta raiva de Severo, mas eu tenho minhas dúvidas.

Após a escola, o grupo ingressou na Ordem da Fênix, combatendo Comensais da Morte na primeira guerra bruxa contra Voldemort. Depois já sabemos o resto da história.

large-13

Agora JK, querida, o que você está esperando ainda? Não, ainda não existe nenhum livro, ou filme sobre. Mas existe um pequeno prefácio sobre Siriu Black e James Potter, que ela escreveu, caso queiram conferir é só clicar aqui.

Muitos fãs, assim como eu, desejam demais algum livro, filme, ou qualquer coisa que envolvam algo sobre eles, pois toda vez que eles foram citados nos livros de Harry Potter eram sempre com grande importância e valor. E sinceramente, cai entre nós, parece que a época deles era bem mais divertida do que a do próprio Harry, por motivos óbvios. Outro grande motivo é que nos filmes os atores selecionados para aparecerem como os pais (James e Lily) dele eram velhos demais, sendo que no livros eles só tinham 20 e poucos anos. Ou seja, eles morreram muito jovens. Sobre os atores que interpretaram Sirius, Lupin e Peter não tenho o que reclamar, porque são atores ótimos e estavam mais próximos, em questão de idade e características, de seus personagens.

Enfim, por esses e outros motivos, resolvi fazer este post. Já que nós fãs de Harry Potter selecionamos os  atores que seriam perfeitos para fazerem os marotos enquanto jovens, em Hogwarts, e na primeira Guerra Bruxa, e etc. Detalhe, todos os atores selecionados são ingleses, ou seja, já pensamos no sotaque e na origem dos personagem, e tudo. 😉  Bora conferir a lista?

 Aaron Johnson – James Potter


James Potter sempre foi descrito como o líder dos marotos, como o formador das ideias, companheiro, amigo, e levemente arrogante, não tem ninguém melhor que o Aaron para interpreta-lo. Tem alguma dúvida? Então confira esses gifs, fotos, vídeos que os próprios fãs fizeram dele como o próprio personagem clicando aqui, aquiaqui, e aqui.

Ben Barnes – Sirius Black


O cara é bonito, tem charme, consegue fazer aquele ar de mistério com uma mistura de raiva e loucura que só o Sirius tem, além de ter características físicas muito parecidas com o do personagem, olha o cabelo! Deixarei algumas provas aqui, aqui, aqui e aqui.

Andrew Garfield – Remo Lupin


Não teria ator melhor para interpretar o Lupin do que o Andrew, ele consegue fazer o típico nerd só que sem ser totalmente chato. Conseguem captar o que eu quero dizer? Porque não sei vocês, mas sempre foi assim que vi o Lupin, um cara sério e estudioso, mas que fura as regras quando necessário. Provas: aqui, aqui .

Jamie Bell – Peter Pettigrew


Não sei se concordo muito com Jamie Bell como Peter, porque acho o ator bonito demais para viver o personagem, mas não posso negar que o cara tem talento (então quem sabe ele conseguiria ficar feio) e até que ele lembra um pouquinho um ratinho. Você pode conferir isso aqui, aqui e aqui.

Karen Gillan – Lily Evans

Ela é ruiva, tem olhos verdes, é linda e é a Karen. Quem assisti Doctor Who entende do que eu estou falando, e não tem mais jeito, não imagino outro atriz que não seja “mais Lily” do que ela. Simplesmente perfeita. Provas: aqui, aqui, aqui e aqui.

E ai gostaram da “seleção” dos atores para viverem os marotos? Acima deixei um vídeo sobre ele  feito pelo próprios fãs. Foi difícil escolher um, admito. Se vocês digitarem Marauders, ou qualquer nome de um dos personagens citados acima no youtube, posso afirmar que 70% serão vídeos feitos por fãs com esses atores, sério. Ou seja, é uma aclamação pública galera. 

Enfim, para terminar esse post que acabou ficando enorme, quero finalizar com alguns gifs, imagens e um vídeo de JILY, meu casal favorito em todo o século. coracao-1_xl

Antes que eu me esqueçam, se vocês gostam de fanfics sobre o tema leiam The Life and Times, uma das melhores. Você pode ler em inglês clicando aqui, e a tradução clicando aqui.








 

large-1
Outra quarta, e outra indicação para vocês. Dessa vez separamos alguns filmes que retratam a ditadura militar no Brasil, alguns dos filmes são baseados em fatos reais. Achamos legal divulgar esses filmes para, principalmente, as pessoas que estão, por ai, falando que querem a ditadura militar de volta, fazendo pessoas ao redor passar vergonha e ignorando qualquer tipo de respeito pelas famílias que perdem seus entes queridos.

Então se você está com preguiça de pegar um livro de história, não tem problema, te indicamos quatro filmes sobre o tema.  🙂

“Zuzu Angel”

Este filme baseado em fatos reais contra a história da Zuzu Angel, uma estilista de sucesso que projetou a moda brasileira no mundo. Uma mãe quer travou uma luta contra tudo e todos na busca pelo seu filho Stuart. E foi nos anos 70 que o mundo virou de pernas para o ar. No Brasil, a carreira de Zuzu Angel (Patrícia Pillar) como estilista começa a deslanchar enquanto seu filho Stuart (Daniel de Oliveira) ingressa no movimento estudantil, contrário à ditadura militar então virgente no país. Stuart é preso, torturado e assassinado pelos agentes do Centro de informações de Aeronáutica, sendo dado como desaparecido político.

Eu não sei se vocês lembram, mas eu fui numa exposição que teve dela aqui em São Paulo, e fiz um post falando sobre, se quiserem ver, só clicar aqui.
ONDE: Youtube

 

“O Ano em que meus Pais Saíram de Férias”

Essa historia se passa em 1970 e tem uma visão bem interessante sobre a Ditadura Militar. Tudo acontece a partir do ponto de vista do filho de dois militantes da época, que foi mandado morar com seus avô enquanto seus pais fugiram. Eu já visto esse filme, acho que umas duas vezes, e vale cade minuto.
ONDE: Youtube


“O Dia que durou 21 anos”

Esse é mais um pra quem ama os Estados Unidos e é louco pra morar lá. É baseados em fatos reais, com pesquisas em cima e detalhes ricos. Não é um filme e sim um documentário que aborda da atuação americana no golpe de 64.
ONDE: Youtube


“Batismo de Sangue”

Baseado em fatos reais, o filme conta a participação de frades dominicanos na luta clandestina contra a ditadura militar, no final dos anos 60. Movidos por ideais cristãos, eles decidem apoiar a luta armada. O roteiro é uma adaptação do livro de Frei Betto, vencedor do prêmio Jabuti.
ONDE: Youtube

Eu já assisti dois dessas listas, o primeiro e o segundo, e vou assistir os outros ainda hoje, porque contam histórias chocantes e não tem como não ficar pasma com as atitudes do ser humano. Se vocês já assistiram algum ou conhece outro filme/documentário sobre o assunto comenta ai embaixo, é sempre bom trocar conhecimento. 🙂