Author: Dandara Lima

 

livro resenha 1984

 

sinopse

“Winston, herói de 1984, último romance de George Orwell, vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho. Ninguém escapa à vigilância do Grande Irmão, a mais famosa personificação literária de um poder cínico e cruel ao infinito, além de vazio de sentido histórico. De fato, a ideologia do Partido dominante em Oceânia não visa nada de coisa alguma para ninguém, no presente ou no futuro. O´Brien, hierarca do Partido, é quem explica a Winston que “só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade: só o poder pelo poder, poder puro”.
Quando foi publicada em 1949, poucos meses antes da morte do autor, essa assustadora distopia datada de forma arbitrária num futuro perigosamente próximo logo experimentaria um imenso sucesso de público. Seus principais ingredientes – um homem sozinho desafiando uma tremenda ditadura; sexo furtivo e libertador; horrores letais – atraíram leitores de todas as idades, à esquerda e à direita do espectro político, com maior ou menor grau de instrução. À parte isso, a escrita translúcida de George Orwell, os personagens fortes, traçados a carvão por um vigoroso desenhista de personalidades, a trama seca e crua e o tom de sátira sombria garantiram a entrada precoce de 1984 no restrito panteão dos grandes clássicos modernos.
Algumas das ideias centrais do livro dão muito o que pensar até hoje, como a contraditória Novafala imposta pelo Partido para renomear as coisas, as instituições e o próprio mundo, manipulando ao infinito a realidade. Afinal, quem não conhece hoje em dia “ministérios da defesa” dedicados a promover ataques bélicos a outros países, da mesma forma que, no livro de Orwell, o “Ministério do Amor” é o local onde Winston será submetido às mais bárbaras torturas nas mãos de seu suposto amigo O´Brien.” – Skoob

 

o que eu achei

George Orwell é o pseudônimo de Eric Arthur Blair, nasceu em 1903 na Índia, onde seu pai trabalhava para o império britânico, e estudou em colégios tradicionais da Inglaterra. Jornalista, crítico e romancista, é um dos maiores escritores do século XX. 1984 é o seu último romance, publicado meses antes de morrer de tuberculose.

Winston Smith parece ser diferente das outras pessoas ao seu redor. Ele é membro do Núcleo do Partido, trabalha no Ministério da Verdade, e odeia profundamente o Partido e o Grande Irmão. No entanto, o que o difere dos demais é que ele possui memória.

GUERRA É PAZ
LIBERDADE É ESCRAVIDÃO
IGNORÂNCIA É FORÇA

O Ministério da Verdade é responsável por notícias, documentação, entretenimento, educação e belas-artes, mas principalmente por alterar dados e fatos históricos. O Ministério da Paz é responsável pela guerra. O Ministério do Amor por manter “a lei e a ordem”. E o Ministério da Pujança por questões econômicas.

A história se passa em Londres, capital da Oceânia, um dos três superestados em que o mundo está dividido. A Oceânia é composta pela antiga Inglaterra e o que outrora fora as Américas e parte da África. O idioma oficial é a Novafala, que ainda está em fase de adaptação. Não existiam leis, não existiam datas. Winston não sabia sua idade e supunha estar em 1984.

Ele nunca disse uma única palavra comprometedora, nunca disse nada contra o Partido, e nem poderia. Existem teletelas em todas as casas e escutas em todas as ruas. Tudo, absolutamente tudo está sob o controle do Partido. Mas um dia ele resolve fazer um caminho diferente e percorre o bairro dos proletas (classe pobre e trabalhadora completamente ignorada pelo resto da população e por aqueles que estão no poder), ele acaba comprando um diário antigo e decide escrever qualquer coisa.

Ele quer escrever, mas não sabe como organizar seus pensamentos guardados há anos. Ter ideias é crime, não oficialmente, mas todos sabem que haveriam consequências. O desenvolvimento intelectual foi desestimulado por anos, e aos poucos foi atrofiado. Mas ele consegue começar o diário:

1984-3

Prisões aconteciam a noite, sem registro. O Partido conseguia controlar até a existência de uma pessoa. Muitas pessoas sumiam de repente e ninguém mais se lembrava delas. Se alguém fosse vaporizado pelo Partido logo tudo sobre sua existência seria apagado.

Vão me dar um tiro não me incomodo vão me dar um tiro na nuca não me incomodo abaixo o grande irmão eles sempre atiram na nuca não me incomodo abaixo o grande irmão …

Um dos lemas do Partido (e que mais tarde nós vamos sentir na pele como verdade) era: quem controla o passado controla o futuro, quem controla o presente contra o passado. A ideologia vigente em Oceânia é o Socing (Socialismo Inglês) e o mecanismo que controla o raciocínio dos habitantes é o duplipensamento.

O pensamento-crime não acarreta a morte:o pensamento-crime É a morte.

A Novafala fazia parte do duplipensamento. Ela diminuía radicalmente o número de palavras e a linguagem. Ela restringe o pensamento e acaba abolindo o conceito de liberdade.

Os membros do Núcleo do Partido são celibatários, principalmente as mulheres, o prazer sexual é considerado perigoso, um forte laço emocional entre um casal também. Amor era impossível e desejo era pensamento-crime.

Até que Winston conhece Julia. Julia é mais nova do que ele e sua rebeldia está na liberdade do seu corpo. Eles começam um relacionamento clandestino, ambos desprezam o Partido, mas cada um tem uma visão própria de insurgência.

Se é que há esperança, a esperança está nos proletas.

O sexo entre Winston e Julia era um ato político. Sexo por simples desejo era transgressor. Pureza e bondade eram submissão ao Partido.

Winston acreditava que O’Brien era como ele, acreditava que tinha conhecido um membro da Confraria (grupo rebelde) e estava disposto a fazer tudo o que estivesse ao seu alcance para derrubar o Partido. Ele recebe o livro proibido de Emmanuel Goldstein, antigo membro do Partido, que se juntou a causa contrarrevolucionário para derrubar o Grande Irmão.

1984-1

Através da leitura desse livro por Winston temos acesso aos verdadeiros objetivos do Partido: Poder pelo Poder. – A Oceânia sempre está em guerra com algum dos outros dois superestados, a Eurásia ou a Lestásia. A guerra é a fonte de tudo, através dela se conquista mais força de trabalho. Com a eliminação do livre pensamento cessaram as descobertas e as inovações na ciência e tecnologia, tudo é voltado para a guerra e espionagem. Nunca foi objetivo de quem está no poder elevar o padrão de vida da população, muito pelo contrário. Elevar o padrão de vida acabaria com a hierarquia dentro da sociedade.

O problema era: como manter as rodas da indústria em ação sem aumentar a riqueza real das pessoas? Era preciso produzir mercadorias, mas as mercadorias não podia ser distribuídas. Na prática, a única maneira de conseguir isso foi com a guerra ininterrupta. O ato essencial da guerra é a destruição, não necessariamente de vidas humanas, mas dos produtos do trabalho humano. A guerra é uma forma de despedaçar ou de afundar nas profundezas do mar materiais que, não fosse isso, poderiam ser usados para conferir conforto excessivo às massas e, em consequência, a longo prazo, torná-las inteligentes demais …

E então Winston é capturado junto com Julia, e começam as sessões de tortura e reprogramação no Ministério do Amor.

Mas e se meu objetivo não fosse permanecer vivo, e sim permanecer humano?

Diante da dor não há heróis …

consideraçÑoes finais modelo 2

1984 foi publicado em 1949 (no mesmo ano foi lançado “O Segundo Sexo” da Simone de Beauvoir), mas continua atual. O sistema vigente no livro foi baseado no modelo “tradicional” de regimes totalitários, principalmente o stalinista, no entanto, possui muitos aspectos semelhantes a política imperialista dos Estados Unidos vigente hoje.

O Ministério do Amor retratado no livro me lembrou os relatos do período da Ditadura Militar aqui no Brasil e em outros países da América do Sul, me lembrou Guantanamo .. a Polícia das Ideias também. A teletela e o controle de informações: Julian Assange, Wikileaks, Snowden?

E principalmente, Orwell nesse livro (e Huxley em “Admirável Mundo Novo” – resenha da semana que vem) mostra como é perigoso negar e apagar o passado, como é perigoso a falta do conhecimento da sua história, do seu povo e do seu país. Não ter passado é perder sua identidade. As pessoas em Oceânia vivem como máquinas, executando as mesmas atividades dia após dia, repetindo frases prontas, sentindo o que é apropriado sentir em momento apropriados.

Orwell também coloca em questão o que é ser humano, além de reforçar uma verdade que já conhecemos desde Marx:

“Porque se lazer e segurança fossem desfrutados por todos igualmente, a grande massa de seres humanos que costuma ser embrutecida pela pobreza se alfabetizaria e aprenderia pensar por si; e depois que isso acontecesse, mais cedo ou mais tarde essa massa se daria conta de que a minoria privilegiada não tinha função nenhuma e acabaria com ela” – George Orwell

O último capítulo é um soco frustrante no estômago.

O livro 1984 está disponível no site da editora Companhia das Letras por R$45,00.







 

soro

Oi gente, tudo bem com vocês? Semana passada a Lena contou para vocês uma dica minha com soro fisiológico para recuperar seu rímel ressecado. Hoje eu tenho outra dica com esse produto super versátil.

O soro fisiológico pode ser usado como hidratante para a pele também. Ele refresca, descansa e repõem água da pele e ainda reduz a dilatação dos poros.

Após sua rotina de limpeza de manhã e antes de dormir você pode passar com um algodão ou como eu faço, joga na cara mesmo hahahahaha. A pele tem que ficar bem úmida e secar naturalmente. E depois de aberto ele deve ser conservado na geladeira, ok?

Soro também pode ser usados nos cabelos, mas essa dica fica para um próximo post 😉

Contem pra gente depois se vocês testaram as dicas.







 

pronto-hannibal8

quentin-tarantino-quentin-tarantino-17086804-1600-1200

Ano passado (sim olha a minha cara de pau) eu comecei a série “Diretores que amamos” (clique aqui), mas só fiz o post de estreia e fiquei adiando a análise dos filmes. O primeiro diretor escolhido foi o Tarantino, que eu amo loucamente. No entanto, resolvi criar vergonha na cara e ressuscitar a série. Espero que gostem 🙂

Quentin Tarantino foi aclamado nos anos 90 como o novo messias descolado do cinema, e tudo começou com Cães de Aluguel coproduzido por Harvey Keitel, em 1992 no Sundance Film Festival.

Caes-de-Aluguel

Cães de Aluguel é uma grande brincadeira sangrenta de Tarantino ao estilo gangsteres, influenciada por Caminhos Perigosos e Os Bons Companheiros de Scorsese, e pelo Grande Golpe de Kubrick, que tem a violência como grande obra-prima e motivo de êxtase.

Já na cena de abertura o filme mostra a que veio, Tarantino interpretando Mr. Brown narra uma análise semiótica de Like a Virgin da Madonna, inaugurando uma série de diálogos inspirados e irônicos que vão da liberdade sexual feminina a ética em dar gorjetas para uma garçonete.

“Jesus, essas mulheres não estão passando fome, elas ganham salário mínimo”, se opõe o Mr. Pink (Steve Buscemi) quando seus colegas tentam fazê-lo sentir-se envergonhado e deixar dinheiro na mesa como todo mundo. Ao ritmo chiclete de Super Sounds of the Seventies, de K-Billy Radio, o grupo vai para a rua. Vestido idênticos com ternos pretos esguios, gravatas estreitas e camisas brancas.

Reservoir-Dogs-reservoir-dogs-13232377-1920-1080

O filme se estrutura em flashbacks que misturam o pandemônio após um assalto frustrado, com a apresentação dos personagens e detalhes dos estágios de planejamento. O chefão do crime Laurence Tierney e seu filho, Chris Penn, recrutam seis profissionais que recebem nomes falsos identificados por cores, para que nenhum deles reconheça o outro, dentre eles há um policial disfarçado que causa todo o tumulto na hora do assalto, inclusive alguns assassinatos.

Os que sobraram se reúnem no ponto de encontro, um armazém abandonado. Mr. White (Harvey Keitel) leva seu companheiro ferido e policial disfarçado Mr. Orange (Tim Roth) para o armazém, onde Mr. Pink (Steve Buscemi) logo se junta a eles, obcecado em permanecer profissional e descobrir quem foi o traidor. Depois chega o psicótico Mr. Blonde (Michael Madsen) com um policial refém.

Reservoir_Dogs_23581_Medium

A partir daí os diálogos giram em torno da honra e do profissionalismo entre bandidos. Em um certo momento Mr. White e Mr. Pink deixam Mr. Blonde sozinho com o policial refém e com o ferido Mr. Orange, então começa a tão aclamada cena que fez com que vários espectadores saíssem da sala de cinema no Sundance Film Festival.

Mr. Blonde, ao som de Stuck in the Middle With You, dança e canta enquanto tortura e mutila com uma gilete o refém. A cena foi gravada em dez minutos, cada minuto de agonia para o policial é um minuto para o espectador. Não sei se a percepção de violência mudou dos anos 90 para cá com a geração Jogos Mortais, mas essa cena me frustrou, o tão aguardado momento de horror com a tortura não arrancou uma virada de olhos minha, a única sensação de horror foi o tédio. O único momento em que a cena finalmente atinge o seu potencial é quando Mr. Blonde olha para a sua vítima aterrorizada e mutilada e diz “Foi tão bom para você quanto foi para mim?”.

reservoir-dogs

A violência de Cães de Aluguel não é gratuita, tudo no filme tem um propósito, Tarantino zomba e provoca seu público o tempo todo, que experimenta o êxtase através do sangue e do sarcasmo, e a agonia enquanto Mr. Orange sangra até a morte.

Cães de Aluguel funde masculinidade, violência e submundo. A versão de masculinidade de Tarantino é profundamente regressiva, especialmente baseada na cultura de massa dos anos 70 de sua própria infância. O que torna o filme tão dos anos 90 é que ele gira em torno do que foi reprimido na versão da masculinidade dos anos 70, um medo paranoico e homofóbico do outro que explode em discursos de ódio, em chutes e explosões, em balas e lâminas. É um filme extremamente insular, as mulheres não tem mais de 30 segundos na tela, há zero personagens negros, mas ainda sim, nenhum minuto se passa sem uma referência (racista) aos negros, a estupro na cadeia (sêmen negro em bunda branca), a ameaças de castração das mulheres “fálicas” como Madonna ou o ícone dos anos 70 Pam Grier.

Os personagens são racistas, machistas e homofóbicos, mas não com o propósito de incentivar ou enaltecer esses absurdos (na minha humilde opinião), os outros filmes do Tarantino tem personagens femininos fortes e maravilhosos.

A informação se acumula fora da ordem cronológica, e a preparação e os desdobramentos do assalto vão sendo revelados em flashbacks através dos pontos de vista dos participantes. Curtindo a ironia dramática, Tarantino revela a identidade do policial infiltrado na metade do filme, colocando a plateia em seu ponto de vista e no desespero da sua posição. Em seu mundo, o conhecimento não o leva a lugar algum, quando o gelado Mr. Blonde (Michael Madsen) chega com um jovem policial que ele sequestrou durante a fuga, a violência se agrava. No blecaute final, o armazém está carregado de corpos. É uma comédia de humor controverso, que tanto se vangloria quanto ridiculariza seu gênero e seus personagens.







 

pedras

Oi genteeeeeeeee, tudo bem com vocês? O post de hoje foi uma sugestão via ask da Lena de uma leitora do blog. E e fiquei super feliz porque como vocês vão perceber: eu AMO esse tema.

Eu desde criança me interesso sobre Wicca, Astrologia, Misticismo e afins. Esse mês eu dei uma “consultoria” para a Lena sobre pedras, cristais, incensos, limpeza de energia e etc heheheh.

Eu e a Lena somos do signo de Touro, nossa pedra é o Quartzo Rosa.

Mas então … vamos ao que interessa. Vou falar sobre as pedras e os cristais em geral, os signos e como funciona limpeza e energização.

POST LONGO, TENHAM PACIÊNCIA!

As pedras e os signos

Cada pedra tem uma característica e uma função específica, não é porque ela não é do seu signo que você não pode usá-la.

Você pode fazer um cantinho em algum ambiente da sua casa, pode usar como colar ou pulseira, fica a seu critério.

Áries
Pedras: Dolomita; jaspe; cornalina; granada e ágata.
Pedra principal do signo: Granada
Proteção da pedra: Estimula a imaginação e a inteligência; fortifica o coração e os ossos; atrai boas amizades e traz sorte no jogo.

Granada

Granada

Touro
Pedras: Safira; quartzo rosa; turmalina; fluorita e morganita.
Pedra principal do signo: Quartzo rosa
Proteção da pedra: É um cristal conhecido como a pedra do amor, pois ajuda nas relações amorosas. Irradia paz e alegria para quem a possui.

Quartzo Rosa

Quartzo Rosa

Gêmeos
Pedras: Olho de tigre; hematita; citrino; especularita e água marinha.
Pedra principal do signo: Hematita
Proteção da pedra: Aumenta o otimismo e a vontade de vencer na vida; favorece a autoconfiança; estimula o trabalho e traz sorte nos negócios.

Hematita

Hematita

Câncer
Pedras: Amazonita; quartzo verde; crisopásio; pedra da lua e funchita.
Pedra principal do signo: Quartzo verde
Proteção da pedra: Atrai abundância; ajuda nos estudos; estimula a criatividade e fortalece a saúde.

Quartzo Verde

Quartzo Verde

Leão
Pedras: Cristal de rocha; rubi; diamante; dolomita branca e pirita.
Principal pedra do signo: Cristal
Proteção da pedra: É considerada uma das pedras mais importantes, pois reflete todas as cores do arco íris. Ajuda a tornar realidade, os sonhos e as esperanças.

Cristal

Cristal

Virgem
Pedras: Ônix; ágata; turquesa; topázio e safira.
Principal pedra do signo: Turquesa
Proteção da Pedra: Cria força, protege e ajuda na comunicação.

Turquesa

Turquesa

Libra
Pedras: Quartzo esfumaçado; citrino; água marinha; clacita e dolomita.
Pedra principal do signo: Citrino
Proteção da pedra: Favorece a autoconfiança; rejuvenesce o físico; atrai riqueza material e sorte para quem a possui.

Citrino

Citrino

Escorpião
Pedras: Sardo; opala; ágata de fogo; jaspe e cornalina.
Pedra principal do signo: Ágata de fogo
Proteção da pedra: Ajuda a ter coragem; melhora a relação com a família e proporciona um casamento feliz.

Ágata de Fogo

Ágata de Fogo

Sagitário
Pedras: Turquesa; topázio; calcita; lápis-lazúli e dolomita.
Pedra principal do signo: Lápis-lazuli
Proteção da pedra: Transforma tristeza em felicidade; favorece a alegria de viver e ajuda a enfrentar a vida com otimismo. É bom tocá-la em períodos de dúvida para ajudar na tomada de decisões corretas.

Lápis-lazuli

Lápis-lazuli

Capricórnio
Pedras: Ônix; olho de gato; rubi; malaquita e turmalina.
Pedra principal do signo: Ônix.
Proteção da pedra: Serve para afastar a negatividade; combater o estresse e a tensão nervosa, aumentar o alto-astral e suavizar os efeitos do álcool.

Ônix

Ônix

Aquário
Pedras: Olho de Falcão; turquesa; sodalita; água marinha; quartzo azul e turmalina.
Pedra principal do signo: Sodalita
Proteção da pedra: Ajuda a alcançar objetivos materiais, amorosos e espirituais. Traz grande prosperidade para quem a possui e aos seus familiares.

Sodalita

Sodalita

Peixes
Pedras: Ametista; safira; âmbar; diamante e rodocrosita.
Pedra principal do signo: Ametista
Proteção da pedra: Pedra da paz. Transforma energia negativa em positiva. É a pedra da realização das metas pessoais, materiais e da conquista do poder. Possui elementos tranquilizadores.

Ametista

Ametista

As pedras e os cristais absorvem energia negativa, então é recomendável que você, quando for necessário, faça uma rotina de limpeza e energização. Vai de cada um o momento de fazer essa rotina, depende muito de como estão as coisas na sua casa, no seu trabalho, com a sua saúde ou com o seu estado emocional mesmo.

Há um bom tempo aprendi essas técnicas de limpeza e energização de pedras e cristais, existem outras, mas eu só uso essas.

Limpeza:

1) Pegue uma bacia de vidro, coloque água e sal grosso, deixando os cristais submersos por 24 horas.

Ou

2) Deixe-os exposto à chuva forte, desta maneira eles descarregarão as energias negativas para a terra ou o ambiente em que ele for deixado.

Energização:

1) Deixe os cristais expostos à luz solar, no mínimo por seis horas, e depois expostos a luz lunar, ficando a noite inteira.

Ou

2) Enterre os cristais e deixe-os por 24 horas.

Alguns cristais não devem ficar muito tempo exposto a luz solar, são os casos da Ametista, do Quartzo Rosa, Quarto Verde e outros, pois a luz do sol os fazem perder sua tonalidade. Uma outra forma de energizar seria deixar o cristal exposto a luz do luar, ou exposto a tempestades, de preferência aquelas com relâmpagos e trovões.

Meu cantinho dos cristais

Meu cantinho dos cristais

Eu deixo minhas pedras, cristais e ervas no parapeito da janela do meu quarto (tem rede porque eu tenho uma jaguatirica anã no ap). Na foto tem 3 ametistas (uma delas está partida ao meio, culpa da jaguatirica), 1 quartzo verde, 1 quartzo rosa e 1 olho de tigre.

Cantinho da Lena

Cantinho da Lena

Lembre-se que com a mão direita projetamos, enviamos energia para o cristal e com a mão esquerda estamos recebendo a sua energia.

Espero que tenha gostado. Qualquer dúvida é só deixar nos comentários.







 

Madeline_Stuart

 

Madeline Stuart é uma inspiração para outras meninas pelo mundo.

Ela tem apenas 18 anos e muita determinação para desafiar uma das indústrias mais fechadas e complicadas do mundo: a moda.

Madeline é portadora de síndrome de Down e sonha em ser modelo para chamar atenção e mudar a forma como os outros enxergam pessoas com a sua condição genética, que ela vê como um dom.

Desde pequena, ela gosta muito de nadar e dançar, mas sempre se sentiu frustada com seu sobrepeso (uma das consequências da síndrome, assim como problemas cardíacos), que atrapalhava nas atividades. Com a ajuda da mãe Rosanne, Madeline resolveu adotar um estilo de vida mais saudável e conseguiu eliminar 20 kg.

Madeline antes e depois

 

“No começo, Maddie, que costumava comer muito como uma forma de compensar as dificuldades do dia a dia, teve que quebrar esse ciclo. Eu dei a ela todo apoio e, em dois meses, ela já tinha mudado de estilo de vida”, contou Rosanne ao Daily Mail.

Apaixonada por dança, a adolescente passou a nadar cinco vezes por semana, além de praticar críquete num time para-olímpico e ter aulas de líder de torcida e hip-hop. “Ela adora chamar a atenção quando está no palco, fazendo uma peça ou se apresentando como líder de torcida e eu sempre fiz milhares de fotos dela, então ela gosta de câmeras”, diz a mãe.

maddie

Segundo o site Bored Panda, Maddie já tem o apoio de uma marca que estimula a diversidade de corpos.

“Ela emagreceu para se sentir mais saudável e não para encaixar-se. Ela realmente quer mudar o jeito que as pessoas vêem a deficiência. Pessoas com síndrome de Down podem fazer o que quiserem, só fazê-lo em seu próprio ritmo. Dê uma chance a eles que a recompensa será maior do que suas expectativas. Algumas pessoas perceberam que quem tem síndrome de Down pode ser sexy e bonito. Quero que parem de dizer “sinto muito” quando digo que minha filha tem síndrome de Down, porque é uma afirmação ingênua”, declara a mãe de Maddie.

madeline-stuart-666870_w650

Não é nada fácil entrar para a indústria da moda ou mudar os conceitos de beleza, mas Maddie com certeza está abrindo o caminho para várias outras garotas como ela.

You go girl o/